O jogadores da seleção dinamarquesa, liderados pelos capitães Christian Eriksen, Kasper Schmeichel e Simon Kjaer, acusam a federação de «violentos ataques pessoais» a propósito do novo acordo sobre os direitos comerciais.

Em carta aberta, escrita em nome de toda a equipa, é deixado um elogio aos «mil futebolistas» que recusaram jogar com a Eslováquia, numa altura em que a seleção estava «sob pressão dos clubes», e acrescenta-se que pretendem lutar por um acordo melhor.

 

Recorde-se que quando jogou com a Eslováquia, a 5 de setembro, a seleção dinamarquesa teve de apresentar jogadores de escalões inferiores e até de futsal (na foto), acabando derrota por 3-0.

Na altura os jogadores profissionais recusaram jogar devido ao fracasso nas negociações dos direitos de imagem, nomeadamente o conflito com acordos individuais assinados com marcas que concorrem diretamente com patrocinadores da seleção.