Volker Struth, considerado o empresário de futebol mais poderoso da Alemanha, não tem dúvidas de que a crise provocada pelo novo coronavírus terá reflexos no mercado de transferências.

«Pode esperar-se que haja menos transferências este verão e, sobretudo, de outros valores. Acredito também que alguns clubes venderão jogadores abaixo do valor de mercado. Penso que a situação noutras ligas estrangeiras será muito mais dramática», disse numa entrevista ao Kölner Stadt Anzeiger, o jornal alemão com a maior tiragem em Colónia.

O responsável pela gestão das carreiras de jogadores como Toni Kroos, Marco Reus ou Dayot Upamecano, admitiu que os clubes serão mais cautelosos no futuro próximo, mas que essa abordagem conservadora será passageira. «Creio que um ou dois anos após a crise tudo estabilizará novamente. A competição entre os clubes mantém-se e tudo voltará a ser como antes», projetou.