Esta temporada várias equipas que anteriormente se sagraram campeãs nacionais nos seus respetivos países conseguiram voltar a conquistar um lugar entre os grandes depois de passagens pelos escalões inferiores. Por essa Europa fora, o Maisfutebol faz uma viagem que vai desde as Grã-Bretanha até à Península Itálica, com passagens pelos Países Baixos e pelo coração da Europa.

Apenas em Espanha e França não há espaço para os antigos campeões voltarem a sonhar.

Glasgow Rangers: o ‘Old Firm’ vai voltar a fazer parar a Escócia

Talvez o caso mais mediático de todos. O Rangers, a equipa que mais vezes se sagrou campeã na Escócia, desceu em 2012 (veja a história aqui) e passou quatro anos nas divisões inferiores, até regressar, esta temporada, ao seu lugar, por direito próprio.

Há cerca de um mês, os protestantes garantiram a subida de divisão, após uma vitória sobre o Dumbarton. O Celtic, depois de quatro ligas consecutivas praticamente a correr sozinho, volta a ter um rival à altura na luta pelo título.

Com a subida do Rangers, a reedição de um dos maiores dérbis da história do futebol mundial, o ‘Old Firm’, está de volta. E promete…

Os adeptos nunca abandonaram o Rangers

Burnley: após época de interregno, os ‘Clarets’ estão de volta

No passado fim-de-semana o Burnley garantiu a promoção ao escalão máximo do futebol inglês. Um golo solitário de Sam Vokes bastou para os ‘Clarets’ vencerem o Queens Park Rangers e chegarem aos 90 pontos, o que lhes permitiu celebrar a subida em casa, no Estádio de Turf Moor.

A equipa do norte de Inglaterra conta nas suas fileiras com jogadores como Joey Barton e Paul Robinson, guarda-redes internacional inglês por 41 vezes.

Carimbado o regresso após um ano de ausência da Premier League, o Burnley volta a disputar uma competição que já venceu por duas vezes. A estreia como campeão inglês aconteceu em 1920-1921 com 59 pontos, embora tenha começado a prova com três derrotas consecutivas. Mais tarde, os ‘Clarets’ conseguiram repetir o sucesso de outrora: na época de 1959-1960.

Sheffield Wednesday:o sonho tem rosto português

O Sheffield Wednesday garantiu a última vaga de acesso ao play-off frente ao Cardiff. Uma vitória por claros 3-0 permitiu à equipa dos portugueses Carlos Carvalhal, Marco Matias, Lucas João e José Semedo festejar o acesso aos playoffs num mítico estádio de Hillsborough esgotado.

A vitória dos 'Owls' começou a ser construída com um autogolo de Peltier, sendo que a figura da partida foi o avançado Gary Hooper. A equipa mais portuguesa de Inglaterra tem a oportunidade de voltar ao principal escalão do futebol inglês, competição que venceu em quatro ocasiões.

 

 

O Sheffield Wednesday é um dos míticos clubes do futebol do futebol inglês e tem a particularidade de ser um clube que mudou de nome ao longo da sua história. Fundado em 1867 inicialmente com o nome ‘The Wednesday’, o clube de Sheffield venceu a primeira vez o campeonato no início do século passado com um ponto de vantagem sobre o segundo e terceiro classificados. Na temporada seguinte celebrou o primeiro bi campeonato da sua história ao superar a concorrência com um total de 47 pontos, mais três que o segundo, Manchester City.

O segundo e terceiro títulos da então denominada, Divisão One, chegaram de forma consecutiva. Nas temporadas 1928-1929 e 1929-1930 os 'Owls' dominaram a Division One em Terras de Sua Majestade: 52 pontos, apenas um à frente do Leicester, que apenas esta época conquistou o seu primeiro título de campeão e, no ano seguinte, já com o nome com que atualmente é conhecido, amealhou 60 pontos e deixou o segundo classificado a mais de dez pontos de distância.

Após a glória alcançada no início do século 20, a última presença da equipa entre a elite do futebol britânico data do ano de 1999-2000.

Carlos Carvalhal tenta reerguer um histórico

O Condado de Derbyshire pode voltar a figurar no mapa da Premier League

Surge na classificação do Championship desta temporada logo a seguir à equipa comandada por Carlos Carvalhal. Falamos do Derby County. O 5º lugar na segunda divisão de Inglaterra acaba por ser modesto para um clube que já se sagrou campeão inglês.

É um dos emblemas mais antigos de Inglaterra, criado em 1884 por um membro do clube de críquete de Derbyshire. Ainda assim, a equipa das margens do Rio Derwent demorou quase 90 anos a conquistar o primeiro título de campeão.

Com o lendário treinador Brian Clough conquista na época 1971-1972 um dos campeonatos mais disputados de que há memória em terras anglo-saxónicas: venceram com 58 pontos, tendo Leeds United, Liverpool e Manchester United atingido os 57. Na mesma década, no ano de 1975 repetiu o feito e sagrou-se campeão com 53 pontos.

Desde essa altura nunca mais o Derby County conseguiu atingir o título inglês, sendo que na temporada 2007-2008 participou na Premier League pela última vez até aos dias de hoje.

Nuremberga: a segunda equipa mais vezes campeã da Alemanha

No segundo escalão germânico os três primeiros lugares estão fechados: Friburgo, Leipzig e Nuremberga.

Bastaram 59 pontos para o antigo campeão nacional alemão ter acesso a disputar o play-off que pode dar acesso à Bundesliga nove anos depois. O único entrave à subida dos ‘Die Legende’ é mesmo o jogo contra o antepenúltimo classificado do primeiro escalão da Alemanha.

O Nuremberga é uma das equipas com mais títulos de campeão da Alemanha. Foram 9 os títulos conquistados pela equipa da Baviera desde a sua fundação em 1900, repartidos entre 8 campeonatos nacionais e uma Bundesliga. Isto porque a Bundesliga, com o formato como atualmente a conhecemos, foi criada em 1963-1964 tendo o Nuremberga conquistado a competição na época 1967-1968, com 47 pontos, naquele que foi o seu último título nacional.

Nuremberga enfrentou o Benfica em 2008, na Liga Europa

Entre os anos 20 e 30 do século passado, o Nuremberga celebrou as maiores conquistas da sua história: 5 títulos de campeão nacional alemão. Após um interregno de quase uma década, o atual terceiro classificado da Bundesliga2, voltou a conquistar a competição. Os ‘Die Legende’ apenas voltaram a vencer o Campeonato Nacional no ano seguinte ao fim da Segunda Guerra Mundial.

Com a mudança do nome da competição, esfumaram-se a maioria dos grandes feitos dos de Nuremberga, a segunda equipa com mais campeonatos na Alemanha logo atrás do Bayern Munique.

Friburgo: um ano de ausência

O regresso deste antigo campeão alemão à elite do futebol germânico concretizou-se da melhor forma ou os Breisgau-Brasilianer não se tivessem sagrado campeões da Bundesliga 2 na presente temporada.

A equipa da região de Baden-Württemberg alcançou o topo a nível nacional ao conquistar o campeonato nos primórdios da sua criação: há mais de cem anos, na temporada 1906-1907 dois anos após ter sido fundado. Fez parte das 18 equipas da Bundesliga foi na temporada 2004-2005 sendo que terminou na cauda da tabela classificativa com apenas 18 pontos e voltou a descer na temporada transacta, acabando em 19º lugar com 34 pontos somados.

Em Itália, o Cagliari está a um ponto do regresso

O Cagliari é uma equipa italiana que apenas conta com um troféu no seu historial e esse título, é nada mais, nada menos, que o scudetto. Os 'rossoblu', criados dois anos após o fim da I Guerra Mundial, tiveram que esperar cerca de trinta anos para vencer a liga italiana.

O feito inédito da equipa da Sardenha concretizou-se com 42 pontos à frente de Juventus, Internazionale e AC Milan. A epopeia vivida nessa época pelo Cagliari nunca mais esteve perto de voltar a acontecer.

Este fim-de-semana basta um empate na deslocação ao terreno do Bari para se juntar ao Crotone na subida à primeira divisão do Calcio.

O Clagliari desceu na época passada

Na sombra do Feyenoord, o Sparta está de regresso

O Sparta de Roterdão sagrou-se vencedor da segunda divisão holandesa e ascendeu à principal competição nacional dos Países Baixos, prova em que já não competia desde 2009-2010. Criado em 1888, é um clube da segunda maior cidade da Holanda que sempre viveu à sombra do principal clube de Roterdão: o Feyenoord.

Embora ofuscado pelos triunfos da equipa que joga na ‘banheira de Roterdão’, os ‘Kasteelheren’ já somam 6 títulos de campeões nacionais no seu palmarés.

Entre 1909 e 1015 o Sparta de Roterdão conquistou quase a totalidade dos troféus de campeão Eredivisie: cinco títulos em seis anos, três deles de forma consecutiva. Antes do campeonato começar a ser dominado por Ajax, PSV e Feyenoord, o Sparta de Roterdão apenas no final da década de 50 conseguiu reviver a era dourada do passado.

Contudo, o Sparta não é a única antiga campeã que milita no segundo escalão...

NAC Breda, Go Ahead Eagles e FC Eindhoven, treinado por Mitchell van der Gaag, bem conhecido dos portugueses, são as equipas que, apenas por uma vez, conseguiram atingir o sonho do título nacional e tem a possibilidade, através do play-off, de voltar a figurar entre as equipas mais fortes da Holanda.

Todas estas equipas conquistaram os seus títulos de campeão antes de começar a supremacia quase ininterrupta das três principais equipas do país como referido anteriormente.

O NAC Breda, conhecido por ‘Yellow Army’, venceu a principal competição nacional holandesa na temporada 1920-1921, enquanto o FC Eindhoven repetiu o feito do NAC Breda a meio do século XX, mais precisamente na época 53-54 e há mais de vários anos que não saí do segundo escalão.

Por último e, sem dúvida a equipa com maior palmarés no que ao nível de títulos nacionais diz respeito, o Go Ahead Eagles. Quatro vezes vencedor da primeira divisão nas épocas 1916-1917, 1921-1922, 1929-1930 e, a última vez em 1932-1933. Desceu o ano anterior juntamente com o NAC Breda, sendo que este ano os dois conjuntos voltam a ter a hipótese de regressar.