Recorde-se que em setembro a formação britânica perdeu por 2-1 com o Dínamo Zagreb, num encontro em que, veio a saber-se entretanto, o médio Arijan Ademi acusou positivo em teste antidoping realizado pela UEFA. «Quando vi que havia jogadores com doping... quando não estamos no nosso melhor e o adversário está dopado, torna-se difícil», afirmou o treinador na altura.

 

«Tento ser fiel aos valores que creio serem importantes na vida, e passa-los a outros. Em 30 anos como treinador, nunca tive jogadores a injetarem-se para serem melhores. Nunca lhes dei nenhum produto que pudesse melhorar o desempenho. Estou orgulhoso por isso. Mas joguei contra muitas equipas que não tinham essa filosofia», frisou agora, em entrevista ao L’Equipe.

 

«Para mim, a beleza do desporto é todos quererem ganhar, mas só poder haver um vencedor. Estamos numa época em que se glorificam os vencedores, sem se olhar aos meios que utilizaram. Só dez anos depois se descobre que afinal havia batota. E durante todo esse tempo, o que ficou em segundo sofreu, não teve reconhecimento, e pode ser bastante infeliz».