Aristide Barraud, de 25 anos, tinha aproveitado a pausa no campeonato italiano para ir a França ver a família que vive a quinze quilómetros de Paris e, na sexta-feira fatídica, decidiu ir até à capital para descontrair. Foi atingido quando estava numa esplanada junto ao Bataclan e foi de imediato transportado para o hospital e é, por esta hora, um dos 99 feridos que estão em estado crítico nos hospitais de Paris, com um pulmão furado por um das balas.

«Estamos angustiados», comentou Lucio Marín, o presidente do clube de Mogliano Veneto que aguarda uma mensagem a dizer que Barraud está fora de perigo.