A justiça da Croácia retirou a acusação por perjúrio a Luka Modric, do Real Madrid, segundo anunciou esta quarta-feira um tribunal regional de Zagreb.

«Em 28 de setembro, o Tribunal Penal Municipal em Zagreb rejeitou a acusação de gabinete do procurador regional em Osijek de 2 de março, movida contra Luka Modric por causa do ato criminoso do artigo 305 da lei penal [referente a um crime um falso testemunho]», disse à agência Efe o juiz porta-voz do tribunal, Sasa Lui.

Modric, que venceu este ano o prémio de melhor jogador da FIFA, foi acusado pela de ter dado um falso testemunho em junho de 2017, num julgamento por corrupção contra Zdravko Mamic, antigo presidente Dínamo Zagreb.

A acusação referia que existiram certos detalhes nos acordos assinados entre Mamic e o jogador, então a atuar no Dínamo Zagreb, que terão beneficiado o então líder do clube croata, que terá implicado um desvio de 15 milhões de euros.

O procurador da justiça considerou as declarações dadas em março por Modric como «implausíveis» e que teriam sido alteradas relativamente a declarações anteriores, com o intuito de beneficiar o seu antigo chefe em Zagreb.

Mamic foi condenado em junho a seis anos e meio de prisão, com outros três indivíduos, pelo desvio de 15 milhões de euros em transferências de jogadores para clubes estrangeiros, incluindo a ida de Modric para o Tottenham em 2008, em que Mamic e o seu irmão desviaram sete milhões de euros, e ainda uma fuga aos impostos no valor de 1,5 milhões de euros.