A chegada do guardião Thibaut Courtois ao Real Madrid, esta época, motivou um equilíbrio nas opções entre o belga e o colega de posição, o costarriquenho Keylor Navas, na baliza da equipa espanhola. O ex-Chelsea leva mais jogos e tempo do que Navas na baliza, mas o selecionador da Costa Rica, Gustavo Matosas, acredita que não é pelo «rendimento» que o seu compatriota perdeu oportunidade no clube.

«Preocupo-me porque gosto que ele jogue. Porque ganhou três Liga dos Campeões consecutivas e a saída da equipa [ndr: de titular] não foi por motivos de rendimento. Continua a ser um dos melhores do mundo. Está no top três», referiu Matosas, que assume a seleção da Costa Rica em janeiro próximo, em entrevista à EFE.

Navas fez sete dos 16 jogos oficiais do Real Madrid esta época, enquanto Courtois foi opção nos restantes nove. E se o costarriquenho foi opção nos primeiros três jogos – Supertaça Europeia e duas jornadas iniciais do campeonato – nos três duelos para a Liga dos Campeões e na Taça do Rei, Courtois assumiu a baliza no campeonato, desde a terceira jornada.

Depois da saída de Lopetegui, Solari manteve Courtois na baliza para a liga, ante o Valladolid. E entregou a titularidade a Navas na Taça do Rei. Resta perceber se o atual técnico manterá as opções.

De qualquer forma, Matosas avisa Navas: «Tem de ter a grandeza de continuar a treinar todos os dias para manter-se bem para quando chegue a seleção».