«Para mim, a noite de Paris foi a pior experiência da minha vida porque estavámos tão perto», confessou, em declarações à Kicker.

O central do Bayern Munique jogou 45 minutos no particular com a França e conta como reagiu às explosões: «Após a primeira explosão, olhei para as bancadas, mas não via fumo e eu perguntava-me o que poderia ser.»

Sobre o Campeonato da Europa de 2016, o jogador defendeu que deve realizar-se em território gaulês. «Eu penso que o Euro irá em frente como planeado, em França, no próximo verão. O que aconteceu poderia ter acontecido em qualquer lugar», comentou.