Segundo um comunicado do clube, o adepto banido por causa do engenho pirotécnico no dérbi de Telavive deveria estar em prisão domiciliária por ordem do tribunal, mas violou essa medida ao deslocar-se ao estádio.

 

O clube enviou ainda cartas de aviso aos sete adeptos detidos no Porto por desacatos na jornada anterior da Liga dos Campeões.

 

O Maccabi avisa que qualquer envolvimento dos adeptos em incidentes deste tipo mancha a reputação do clube, seja dentro ou fora dos estádios, e garante que vai continuar «uma política de tolerância zero em relação a estes comportamentos».