Um jogo que contou com a presença de 75.381 espectadores, mas que fica marcado pelas ausências dos antigos internacionais franceses Patrick Vieira e Zinedine Zidane. «Percebi perfeitamente porque é que Zizou tomou a decisão de não jogar. Ele tinha prometido jogar, mas é completamente compreensível. É um amigo e, acima de tudo, um homem muito apaixonado. Sendo francês, é óbvio que ficou muito abatido com o que aconteceu ontem à noite. Da minha parte, dos treinadores e de todos os que estiveram envolvidos neste jogo, envio condolências a quem perdeu entes queridos em Paris. O nosso coração está com os parisienses», explicou David Beckham no final.

A equipa formada por antigos jogadores da Grã-Bretanha e Irlanda, comandada por Alex Ferguson e capitaneada por Beckham, acabou por vencer por 3-1 com um «bis» de Michael Owen e um golo de Paul Scholes, enquanto Dwight Yorke marcou o golo da equipa do resto do Mundo, orientada por Carlo Ancelotti e com Luís Figo como capitão.

 

Antes do encontro, arbitrado pelo italiano Pierluigi Collina, foi respeitado um minuto de silêncio em memória das vítimas dos atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos. As autoridades chegaram a ponderar o adiamento do encontro, devido aos acontecimentos de Paris, mas optaram apenas por um reforço das medidas de segurança.

Com muitas estrelas em campo a mostrarem que, apesar da idade, não perderam talento, outro dos momentos emotivos foi vivido quando David Beckham, como embaixador da ONU há dez anos e responsável pela organização do evento, foi substituído a quinze minutos do fim pelo seu filho mais velho, Brooklyn.