A selecção do Togo não deverá participar na CAN. Depois de muita informação e contra-informação, um comunicado oficial do governo deste país africano veio dissipar grande parte das dúvidas.
«O Governo togolês decidiu retirar a sua equipa. Não podemos continuar nestas circunstâncias dramáticas em competição na Taça das Nações Africanas em futebol», explicou, em Lomé, o ministro da Administração Territorial e porta-voz do executivo, Pascal Bodjona. No país foram já decretados três dias de luto nacional.
O hediondo ataque à comitiva togolesa continua a preencher grande parte do dia-a-dia de todas as selecções participantes na Taça das Nações Africanas.
Ainda sem receber uma informação oficial sobre a decisão da comitiva do Togo, o presidente da Confederação Africana de Futebol afastou qualquer possibilidade de sancionar o país. «Se escolherem abandonar a competição, nós compreendemos a vossa decisão e aceitamo-la», disse Issa Hayatou aos jogadores do Togo, em Cabinda.
Joseph Blatter, presidente da FIFA, também enviou uma carta à organização da CAN2010, que começa este domingo em Luanda, capital de Angola. «Tenho confiança em África e é esta confiança que nos fará organizar o Mundial2010.»