Massimiliano Allegri decidiu tirar um ano sabático depois do divórcio com a Juventus para «recarregar baterias» para o ano seguinte, colocando, assim, um ponto final na especulação em torno do seu nome no mercado de transferências.

O treinador italiano alega apenas motivos pessoais, depois de dezasseis consecutivos no ativo. «Vou parar um ano, preciso de dedicar mais tempo à vida privada. Estes últimos dezasseis anos foram vividos de forma intensa e deixei os afetos familiares um pouco de lado», explicou o treinador italiano que conduziu os bianconeri à conquista do oitavo título consecutivo na Série A.

O treinador reforça a mesma ideia, dizendo que não pode viver permanentemente «a cem à hora». «Para termos picos altos, é preciso desanuviar com brincadeiras criativas, sair com os amigos, para depois poderes melhorar o teu desempenho. Quando preciso desse espaço, vou para casa, vou para Livorno, para estar com os amigos. Depois volto fresco para dar o meu melhor», esclareceu.

A verdade é que, com este anúncio, Allegri afasta um pouco os holofotes sobre a sua pessoa que, neste defeso, já tinha sido associado ao Barcelona, Milan e Chelsea. «Estes cinco anos na Juventus foram todos diferentes, tive de ser lúcido e tomar as decisões certas. Não treinamos 25 jogadores, mas 25 empresas que valiam tanto um milhão como dez milhões. Este ano apresentei 38 formações diferentes nos 38 jogos que fizemos, mas os titulares sabiam que eram titulares, tal como os suplentes», destacou ainda o treinador italiano.