Até nos sorrisos, que repetiu várias vezes. Perguntou-se-lhe pelo ar bem-disposto e até aí o treinador mostrou fair-play. «Os sorrisos dependem sempre de quem olha», disse.

Pelo meio perguntou-se-lhe também se via alguma semelhança na época que o F.C. Porto está a fazer com 2004, a temporada em que ganhou Liga e Champions pelas mãos de José Mourinho.

«A única coisa que posso encontrar de parecido é estar na Champions, estar nas meias-finais da Taça de Portugal e estar em primeiro, embora naquela altura estivesse com mais pontos de avanço», sublinhou.

«Mas o treinador não é o mesmo, os jogadores não são os mesmos, muita coisa mudou em cinco anos. A vontade de ganhar, essa, é a mesma. Isso posso garantir. Queremos fazer o melhor possível nas três provas e o melhor possível no F.C. Porto é ganhar.»

Jesualdo diz que actual F.C. Porto é muito mais dele do que o anterior

Pelo caminho o treinador garantiu também que a equipa actual é muito mais dele do que as anteriores. «Da mesma forma que já tinha dito que a equipa que o ano passado foi campeã era muito mais minha do que a anterior, que era muito de Co Adriaanse.»

«Este F.C. Porto não tem nada a ver com o do ano passado. Mantém princípios e métodos iguais, mas nem tacticamente é igual. Ganhou outra dimensão com Cissokho, ganhou grande com a movimentação de Hulk, por isso é uma equipa muito diferente.»

O mérito, garante, não é só dele. «Em dois anos saíram cinco jogadores da equipa base que encontrei. Agradeço aos jogadores, que foram capazes de se unir todos, argentinos, romenos, portugueses, franceses e fizeram uma equipa. O F.C. Porto é uma verdadeira equipa.»