Professor. Treinador com ideias fortes e uma imagem assente no trabalho. Sporting, Sp. Braga, candidato ao título na Grécia. Privilegia o 4x3x3, a segurança na posse de bola, o modelo assente na coesão defensiva e nas transições apoiadas.

A descrição assenta em Jesualdo Ferreira, mas também em Leonardo Jardim. Afinal, não se encontraram tantas diferenças entre os dois profissionais como o passado recente do Sporting e as promessas para o futuro poderiam indicar.

Nesta quarta-feira, no Torneio Guadiana, os dois treinadores travam o seu primeiro duelo. Um saiu do Sporting e regressou ao Sp. Braga, outro tinha passado pelo Sp. Braga, foi à Grécia e chegou ao Sporting. Em comum, a convivência com Bruno de Carvalho. São os nomes que marcam o percurso do dirigente no emblema leonino.

Os 67 anos de Jesualdo Ferreira contrastam com os 39 de Leonardo Jardim. De qualquer forma, observando um e outro, encontram-se várias aproximações ideológicas.

Para os adeptos, contam os resultados, os nomes e os números. Será interessante, por exemplo, comparar o último onze de Jesualdo no Sporting e a equipa-tipo de Jardim ao longo da pré-temporada.

O Sporting venceu o Beira Mar na última jornada da Liga 2012/13 com o seguinte onze: Rui Patrício; Miguel Lopes, Boulahrouz, Marcos Rojo e Joãozinho; Rinaudo e Adrien Silva; Carrillo, André Martins e Bruma; Wolfswinkel.

Miguel Lopes, Joãozinho e Wolfswinkel saíram, Boulahrouz foi afastado, Bruma é um caso por resolver. Leonardo Jardim lidou com as baixas e começa a apresentar as suas alternativas, sem fugir a sete pés do projeto anterior.

Simulando um onze com jogadores mais utilizados nos compromissos de pré-época, chega-se aqui: Rui Patrício; Cédric, Maurício, Marcos Rojo e Jefferson; William Carvalho e Adrien Silva; Carrillo, André Martins e Diego Capel; Wilson Eduardo.

Fito Rinaudo, ainda à procura da melhor forma, e Eric Dier seguem logo atrás no ranking de utilização. Restam dúvidas em torno do tridente ofensivo, já que Fredy Montero chegou mais tarde. Muda tudo, ou há mais semelhanças que diferenças?

Jesualdo Ferreira fica diretamente ligado à pior época do futebol do Sporting, clube onde entrou para não ser treinador e acabou por sê-lo, apanhando um comboio em andamento, desgovernado, sem conseguir inverter o seu rumo.

A experiência não convenceu Bruno de Carvalho mas António Salvador recuperou a confiança no treinador que fez o Sp. Braga saltar para outro patamar competitivo. Curiosamente, o presidente arsenalista também apostara em Leonardo Jardim sem considerar que os resultados finais foram suficientes.

«Quanto às minhas saídas dos clubes, o tempo deu-me razão. Nenhum dos clubes conseguiu melhores resultados depois de eu sair de lá. Isso deixa-me satisfeito com o meu trabalho», salientou Jardim, na sua apresentação como treinador do Sporting. Jesualdo Ferreira tentará contrariar esta lógica no Minho, Leonardo Jardim procurará fazer melhor que o seu antecessor em Alvalade.

O campeonato grego é outro ponto em comum na carreira dos dois treinadores que nunca se cruzaram. Jesualdo esteve no Panathinaikos entre 2010 e novembro de 2012, abandonando o cargo antes dos duelos com o Olympiakos, que acumulara uma vantagem de 15 pontos na tabela classificativa. Jardim foi seu adversário durante alguns meses, no comando técnico do campeão helénico, contribuindo para a revalidação do título sem evitar o despedimento em janeiro de 2013, por divergências com o presidente do clube.