«Se tivéssemos mais ou menos pontos seria a mesma coisa. Se o Benfica estivesse a quatro pontos era igual. A nossa perspectiva não tem a ver com os que estão atrás de nós, tem a ver o que nós temos que fazer. Temos de garantir os três pontos para manter o primeiro lugar e continuarmos com as nossas perspectivas limpas e seguras.»

Pelo caminho falou-se do F.C. Porto e do que parece ser uma equipa talhada para jogar em contra-ataque. Jesualdo não vai por aí. «Falar em contra-ataque dava uma conversa muito comprida», referiu. «O F.C. Porto tem jogadores com características para um jogo mais rápido. Mas não é apenas o F.C. Porto, são todas as equipas», acrescentou.

«Estamos a fazer um campeonato fora muito bom, em casa estamos a fazer um campeonato mau, mas isso não se justifica apenas com esse factor. A verdade é que os adversários conhecem melhor o F.C. Porto, treinam bem e complicam-nos o jogo. Quando as equipas dividem o jogo com o F.C. Porto, têm dificuldades», lembrou.

«Quando não dividem jogo de igual para igual connosco, aí sim colocam-nos mais problemas. Cabe-nos a nós ultrapassar esses problemas. A equipa precisa de aprender melhor a ter uma posse de controlo maior, precisa de aprender melhor a definir as mudanças de ritmo e posicionamento. Mas tudo isso leva tempo e faz-se aos poucos.»