Ora durante muito tempo comentou-se que Jesualdo estava exposto a um desgaste enorme por isso. O treinador nunca se queixou publicamente, mas a verdade é que era o único a falar pelo clube em declarações à imprensa. Com a revogação da imposição de não falar, pode respirar fundo? «Senti-me sempre com as costas quentes», respondeu.

«Nunca tive nenhum problema nas minhas atribuições como treinador do F.C. Porto em defesa do que penso, do que a minha equipa sente e do que todo o F.C. Porto sente. Não me parece também que sejam essas questões que impeçam o presidente de falar, ele é que sabe quando deve falar, sempre foi assim e não era agora que ia deixar de ser.»