Jesualdo Ferreira, treinador do F.C. Porto, comentou desta forma a redução dos castigos a Hulk e Sapunaru. O técnico considera que os responsáveis deve ser responsabilizados, lembrando que a sua equipa foi prejudicada:

Veja o vídeo das declarações de Jesualdo

«O F.C. Porto tem órgãos jurídicos para analisar as questões. Como treinador, estou feliz por ver regressar o Hulk, também pelo Sapunaru poder jogar lá fora. O Hulk, depois de uma pena que toda a gente percebeu que era injusta, está de volta. O F.C. Porto fez um mês de Janeiro e Fevereiro com uma enorme carga de jogos e sem esses activos. A mim cumpre-me fazer alguns reparos: no decorrer deste processo, todos os castigos da Comissão Disciplinar foram rejeitados pelo Conselho de Justiça da Federação. Pergunto: com esta decisão do Conselho de Justiça, qual é a imagem que se passa do Conselho de Disciplina? Há consequências, pelo menos uma já se sabe. Eu também pago pelos meus erros. Mas já não se pode evitar uma situação, o Hulk esteve sem jogar e criou-nos revolta. Queríamos entender o porquê desta situação.»

Consegue quantificar o prejuízo? «Será impossível avaliar o prejuízo que nos causaram, mas vamos responsabilizar as pessoas. Os adeptos e as pessoas isentas também o farão. Ponho em causa as competências da Comissão Disciplinar. Não é só o castigo do Hulk que deve ser avaliado, mas sim todas as questões internas e motivacionais. Não vejam dizer que isso cheira a desculpa. Avaliem bem o que foi o trajecto do F.C. Porto desde que saíram os castigos do Hulk e do Sapunaru. Recorreram-se a várias formas para tentar provas que as decisões da Comissão Disciplinar eram verdadeiras. Em vão.»

Pensa que isso lhe custou o campeonato? «Em Janeiro, o F.C. Porto venceu vários jogos, mas depois perdeu fulgor, devido à falta de recursos. A partir de certa altura, tornou-se impossível para o F.C. Porto manter o ritmo. Como consequência, acabámos por ter mais lesões. Ainda assim, hoje demos uma boa resposta. O F.C. Porto seria seguramente mais forte, como foi no ano passado, se tivesse todas as soluções. Quando jogámos no Estádio da Luz, a 20 de Dezembro, estavam disputadas 13 jornadas. Diziam que o F.C. Porto estava a fazer uma má época, mas estávamos a um ponto e tínhamos chegado aos oitavos-de-final da Champions. Agora tirem as vossas conclusões.»