«Vamos dividir as questões. Contra o Benfica, o Lisandro foi castigado, não no jogo pelo árbitro, mas pela Comissão Disciplinar, por supostamente ter simulado. O primeiro erro é do Yebda, que tocou no Lisandro com o braço. O segundo erro é de Pedro Proença, que analisou mal o lance. O Lisandro foi o único que não errou.»

«Depois, surge a utilização da lei para punir pela primeira vez um jogador por pretensa simulação», referiu. «Está criado um precedente perigoso e nós estamos atentos a todas as simulações de penalty que surgirem, particularmente dos candidatos ao título. Atentos porque entendemos que esta é mais uma armadilha no nosso caminho».

Para além disso, o treinador reforça que Lisandro não errou. «Não é necessariamente uma simulação o facto de um jogador cair na área. Há questões bio-mecânicas que há que entender: o que é um movimento, os contactos que existem, os apoios que se têm. Quando o Lisandro muda de corrida, há um braço do Yebda e o Lisandro tem de cair.»

«Vejam as simulações no jogo com o Sporting para a Taça da Liga»

Jesualdo lembrou que houve mais lances susceptíveis de influenciar o resultado: «Não vi falarem do penalty sobre o Lucho, antes mesmo do Benfica estar a vencer», disse. «Ninguém pode dizer que o F.C. Porto não fosse empatar sem o penalty. O Lisandro foi emulado para dar corpo a um regulamento que queremos ver como vai ser aplicado».

Defendendo que há mais gente que devia ser penalizada, Jesualdo deixou um alerta. «Gostaria que tivessem o cuidado de ver as duas grandes penalidades marcadas contra o F.C. Porto em Alvalade, falando do árbitro que vai dirigir o encontro em Guimarães [Carlos Xistra]. Vejam se houve ou não simulação dos jogadores do Sporting», disse.

«Houve um grande ruído em torno deste lance de Lisandro, um ruído que provocou este castigo. Exactamente o mesmo ruído, mas em sentido contrário, do que aconteceu na final da Taça da Liga. Fico à espera dos castigos que vão acontecer aos treinadores, dirigentes e jogadores pelo que aconteceu na final da Taça da Liga», acrescentou.

Numa conferência de imprensa em que não disfarçou algum mal-estar em relação ao Sporting, Jesualdo referiu que «há clubes que recuam dois anos para ir buscar lances que na óptica deles justificam alguma coisa». «Eu não preciso de recuar tanto, recuem alguns meses e vejam como foi o penalty sobre João Moutinho assinalado por Lucílio Baptista no jogo do F.C. Porto em Alvalade.»