Jorge Jesus, treinador do Benfica, após o empate frente ao Marselha, em jogo da primeira mão dos oitavos-de-final da Liga Europa (1-1):

[Ficou decepcionado?]

«Não. A equipa fez um excelente jogo. Jogou contra uma grande equipa. Já esperávamos que a eliminatória só se resolvesse lá. O que nos custa é termos estado em vantagem e termos sofrido o empate aos 90 minutos. Fizemos um jogo muito intenso e tecnicamente bem jogado. Quando se encontram duas grandes equipas qualquer resultado é possível. Se fôssemos com um golo de vantagem, isso iria dar-nos algum conforto, embora para defender o resultado tivéssemos de fazer golos. Agora ainda mais. Mas o Benfica tem condições de fazer golos em qualquer campo. Estamos em condições de discutir a eliminatória.»

[Uma vez que o campeonato é prioritário, como vai gerir a equipa na segunda mão?]

«Primeiro vamos pensar no jogo de domingo e depois pensamos no jogo de Marselha. Um jogo de cada vez. Temos confiança total de que vamos conseguir discutir a eliminatória. Agora estou mais preocupado com o jogo frente ao Nacional do que com o da segunda mão da Liga Europa.»

[Sobre as oportunidades perdidas. Vai trabalhar a finalização?]

«Cardozo e Aimar, tal como Pelé e os melhores do mundo, falham golos. Falharam, como falham os melhores.»

[O empate é um resultado justo?]

«Se olharmos para as oportunidades criadas, o Benfica teve mais. Sofrer um golo aos 90 minutos nunca agrada. Mas o Marselha tem qualidade e colocou-nos alguns problemas. Dividiu o jogo connosco, em termos de posse de bola e situações ofensivas. Criámos oportunidades para sair em vantagem na primeira parte, mas não estamos preocupados, porque sentimos que temos capacidades para fazer golos em Marselha.»

[Esta foi a equipa mais forte que o Benfica defrontou?]

«Tenho a convicção de que é uma grande equipa. Veio da Champions e de um grupo onde estavam o Real Madrid e o Milan. Disse antes do jogo que seria uma eliminatória para discutir taco a taco até ao fim e assim será, uma luta até ao fim.»

[Sobre a troca de Coentrão por César Peixoto]

«Surge na linha da entrada do Aimar, Ramires e Javi García. As mudanças foram feitas na sequência da ideia táctica e técnica que tínhamos. Não foi só o César que entrou.»

[Depois deste resultado, há favorito?]

«Não. Se houver favoritismo em relação ao Marselha é só porque marcou na Luz e está em vantagem. Mas como não passamos um jogo sem fazer golos, por isso, estamos convictos de que vamos passar a eliminatória.»