«Às vezes, durante os treinos, sinto-me quase como um fantasma. De facto, não entendi o comportamento do treinador comigo. Quem sabe, se calhar sou eu que me estou a enganar. O que é certo é que, nos treinos, dou sempre o máximo e isso é reconhecido por todos. Sou um rapaz educado, mas não sou parvo», começa por dizer Jimenez, em declarações à Gazzetta dello Sport.

O internacional chileno espera inverter a sua situação a curto prazo. «Não quero viver outro ano assim, nunca mais. Mas nesta altura não quero falar de mercado. Não me rendo, vou continuar a trabalhar e quero deixar a minha marca ainda esta época. O título tem de ser do Inter, é o meu único pensamento. Tive propostas para sair, disseram-me que era útil ao Inter mas a minha situação ainda piorou desde então. Outra coisa que não percebo», reconhece Luis Jimenez.