O avançado não foi titular, mas entrou com regularidade e fez dois golos no torneio e afirmou-se como figura importante para o grupo de Scolari.

Uma nova contusão, agora de Fred, volta a abrir espaço ao jogador do Atlético Mineiro assumir a camisa 9 da seleção do Brasil.

O atacante lamenta as lesões dos companheiros, mas diz-se pronto para aproveitar mais uma vez esta oportunidade: «Ainda não está definido quem vai ser o titular. Vão ter os treinos. Claro que a gente fica triste por, de repente, ter a oportunidade por conta da lesão de um companheiro. Mas futebol é assim mesmo, de oportunidades. Agora é trabalhar para, se tiver mais uma chance, poder entrar bem», comentou Jô.

Na luta pela titularidade nos jogos com Austrália, no próximo sábado, e Portugal, no dia 10 de setembro, Jô terá a sombra de um velho conhecido: Alexandre Pato, reforço de última hora do escrete, após a baixa de Fred. Ambos estiveram na equipa das Olimpíadas de 2008: «Naquela ocasião, o Pato vinha jogando. Depois entrou o Rafael Sóbis e eu joguei as duas últimas partidas. Seleção é isso. Cada um que joga tem que mostrar seu valor. Não são só onze, são 23 jogadores. O Pato é um grande jogador, de muito talento, que conheço desde as categorias de base. Independentemente de quem for jogar, acho que o Felipão está bem servido de atacantes e vamos fazer o nosso melhor», disse Jô, citado pelo «Globo Esporte».