«A equipa precisa de ser paciente. Sabemos que o Bayern tem uma excelente equipa, muito forte e rápida no ataque. Temos que aprender com os erros da primeira mão para conseguirmos um bom resultado em Munique», afirma, acrescentando a sua visão do jogo de Alvalade: «Começámos bem, tivemos as primeiras oportunidades de golo, Lahm salvou um remate do Polga sobre a linha. Mas cometemos erros e a qualidade dos alemães fez o resto.»

Moutinho não sabe se Paulo Bento fará descansar jogadores, dadas as circunstâncias (derrota por 5-0), mas defende que, «tendo em conta que é um jogo da Champions, deve jogar a equipa mais forte, para lutar pelo resultado»: «O Bayern tem uma equipa muito experiente, mas o Sporting quer ainda lutar pela qualificação.»

O capitão sportinguista não se coibiu de elogiar o seu treinador. «Paulo Bento tem feito um óptimo trabalho. No futebol, precisamos sempre da sorte, mas o Paulo já provou que é um excelente treinador. Uma das nossas forças é a forma como ele comunica connosco, motivando-nos. Considero que ele pode chegar a outro clube de topo, porque é jovem e tem qualidade para treinar os melhores clubes da Europa, imitando Queiroz e Mourinho.»

Aproveitou ainda para defender a equipa. «Quando perdemos, os adeptos não ficam pior do que nós, jogadores. Somos nós que perdemos em campo, somos nós que estamos no relvado a tentar vencer, mas nem sempre conseguimos. Os fãs por vezes ficam tristes, mas é preciso ver que nós também», lembra.

Moutinho assegura que está à disposição total do treinador, depois das polémicas do início da temporada, mas repetiu a vontade jogar no meio: «Sempre disse que a minha posição, onde me sinto mais confortável, é no centro do meio campo. Claro que a decisão é do treinador, porque ele é que sabe o que é melhor para a equipa e eu já joguei várias vezes aberto. Eu estou sempre disponível para ajudar a equipa.» Essa vontade de ajudar reflecte-se na escolha hipotética dos troféus a conquistar: Campeão do Mundo ou Melhor Jogador do Mundo? «Claramente, campeão do mundo. A equipa vem primeiro. Mas, se ganhar a equipa, é porque os jogadores são bons e podem, também eles, vencer prémios individuais.»

O médio recordou o seu aparecimento na equipa principal do Sporting. «Sempre gostei muito do número 8, mas quando apareci esse dorsal estava com o Pedro Barbosa, que até era o capitão. Tive a chance de escolher entre vários números, mas decidi-me por um que tivesse o 8 incluído. Fiquei com o 28 e não troco, porque as coisas correram bem e agora é a minha imagem.»

João Moutinho confidenciou que sempre quis ser jogador de futebol - «nunca duvidei e sempre trabalhei para isso» - e que admira João Pinto, Rui Costa e Zidane. Sem esquecer Cristiano Ronaldo. Um fã comparou o melhor do mundo a Ribéry, adversário do Sporting nos oitavos de final da Liga dos Campeões, e Moutinho foi politicamente correcto: «São jogadores diferentes, mas dois grandes jogadores. Penso que Ronaldo, não por ser português, é melhor. Na última época provou todo o seu valor e vai continuar a fazê-lo.»

O futuro do médio também foi tratado no fórum, mas Moutinho não adiantou muita coisa. «Se acontecer sair do Sporting, decidirei o futuro pensando primeiramente no novo clube. Juntar o útil [aspecto financeiro] ao agradável é o ideal, mas primeiro está o prestígio do clube. O Sporting é muito grande, mas todos os jogadores têm a ambição de ir ainda mais longe. Se alguma vez sair, ficarei eternamente agradecido por tudo o que o Sporting me deu, porque foi aqui que nasci e cresci e mostrei o meu valor. Em termos de futuras adaptações, julgo que não haverá problemas.