Foram incluídos mais dois árbitros adicionais na edição deste ano da Liga Europa. Ambos os juízes encontram-se por trás da linha de golo de cada baliza, para ajudar o árbitro principal a decidir acerca de lances polémicos. A medida, que foi implementada pelo presidente da UEFA Michel Platini não está a ser valorizada pelos jogadores.

Tijs Tummers, secretário do comité técnico da Fifpro afirmou à BBC Sport: «Os jogadores sentem-se ainda mais desapontados quando alguns incidentes não são vistos pelo árbitro.»

A inclusão de mais dois juízes nos encontros parece não estar a cair também nas boas de graças dos treinadores. Exemplo disso são os treinadores do Everton, David Moyes, e do Fulham, Roy Hodgson. Moyes não gostou da expulsão de Saha depois de este «levantar a mão» a um jogador do AEK de Atenas, e acha espantoso o facto de nenhum dos árbitros se ter apercebido da falta que o jogador francês sofreu antes do incidente. Já Hodgson queixa-se que nenhum dos árbitros avisou o árbitro principal Paul Allaerts de que tinha expulso o jogador errado no empate dos ingleses do Fulham frente à Roma, por 1-1. Allaerts assinalou um penalti sobre Riise depois de uma entrada de Stephen Kelly, mas acabou por exibir o cartão vermelho a Brede Hangeland, outro jogador do Fulham.

«Os jogadoress aceitam que os erros fazem parte do jogo. Mas eles não vêem nenhum se não na aplicação de sensores entre os postes das balizas para ajudar o árbiro a decidir lances de golo», conclui Tummers.

Os resultados da sondagem feita pela Fifpro vão ser apresentados ao International Board (IFAB) que discutirá a evolução e desempenho da medida aplicada na Liga Europa, já este sábado (6 de Março), no seu encontro anual.