Jorge Jesus, treinador do Sp. Braga, em declarações à Sport Tv, depois do empate com o Standard Liège (1-1), na Bélgica, que garantiu a qualificação da equipa minhota para os oitavos-de-final da Taça UEFA depois da vitória na primeira mão por 3-0:

O treinador dirigiu as primeiras palavras a Stélvio, adaptado a central por falta de outras soluções: «O Stélvio esteve muito bem, principalmente no espaço aéreo, mas foi um jogo muito desgastante. Esta equipa jogo um futebol directo e este campo também não dá para tirarmos máximo proveito das nossas capacidades».

Seguiram-se palavras de admiração para os adeptos do Standard: «O Que ficou? Ficou um Braga com uma grande atitude. Estes adeptos do Standard são fantásticos. Apoiaram a equipa do princípio ao fim, mesmo estando eliminados, não houve lenços brancos nem nada parecido. O publico de Portugal que veja: paixão foi o que se viu aqui em Liège».

E os elogios, claro está, à sua equipa: «O Braga foi uma equipa muito personalizada, nunca perdeu os seus posicionamentos. Nunca jogou em função do adversário, mas sim em função dos espaços, sabíamos o que tínhamos de fazer. A equipa está toda de parabéns».

Seguem-se agora os franceses do PSG: «Vamos apanhar os melhores, fizemos um feito no Braga, é a primeira vez que o Braga vai chegar tão longe, Agora vamos estudar bem o PSG, mas estamos a pensar já no derby de segunda-feira [V. Guimarães].

E até onde pode ir o Braga? «Neste momento tudo é possível, o sonho ninguém nos pode tirar. Já jogamos com três campeões nos respectivos países. Jogámos com o Milan, com o Sivasspor, que é primeiro classificado na Turquia. Temos jogado com bons rivais, mas agora queremos é recuperar a equipa».