O treinador do Benfica, Jorge Jesus, em declarações após a eliminatória dos oitavos-de-final da Liga Europa com o Marselha, que os encarnados venceram:

«Foi uma vitória merecida. O Benfica foi sempre mais equipa que o Marselha. Na primeira parte, fomos praticamente os únicos a criar oportunidades. Tivemos algumas para abrir o marcador. A equipa fez um jogo muito inteligente tacticamente. O que tinha dito aqui, sobre ter conhecimento melhor do Marselha, foi fundamental para não deixá-los dividir campo, como fizeram em Lisboa. Fomos jogando com o tempo, sabendo que o 0-0 dava vantagem ao adversário, mas nunca perdemos a linha de estratégia. Nos últimos 45 minutos, quando sofremos o golo, não merecíamos, porque na segunda parte a nossa superioridade era ainda mais evidente. O Marselha teve uma oportunidade de golo. Controlámos sempre o Marselha, que é uma excelente equipa. Mas apanhou um Benfica forte, com uma cultura forte e passámos com toda a justiça»

«Uma vez que passámos aos quartos-de-final tudo é possível. O Benfica precisava de recuperar o prestígio, porque está afastado destes momentos há alguns anos. Esta passagem vem de encontro ao que queríamos. Quando uma equipa chega aos quartos-de-final tudo pode acontecer. Temos capacidade para chegar a Hamburgo [onde se joga a final], mas também sabemos que podemos apanhar equipas fortes que podem não deixar-nos chegar lá.»

«Como tinha dito, ficámos com conhecimento melhor do Marselha e isso fez com que montássemos estratégia diferente. Precisávamos de anular os pontos fortes do adversário e conseguimo-lo para que o Marselha não tivesse tanta posse de bola e não comandasse o jogo. O resultado era-lhe favorável e quando ganhámos nesse pormenor, estivemos sempre mais próximos do golo. Chegou a uma altura em que suplantámos o Marselha e o 2-1 é um grande golo do Alan. Precisávamos de um bocadinho da sorte que não tivemos antes. É um grande golo, mas beneficiámos do ressalto de bola que houve ali.»

[ É um orgulho como treinador, as alterações terem surtido efeito?] «Nós Às vezes pensamos que as coisas vão melhorar com as substituições e isso às vezes não acontece. Tivemos esse privilégio, mas penso que esperei pelo momento certo para poder arriscar e aí fui compensado pela sorte, mas também pelo risco de apostar no momento certo.»

[ Este Benfica tem qualidade de Liga dos Campeões?] «Defrontámos um adversário com essa qualidade. Se nos qualificarmos em relação ao que fizemos com o Marselha direi que sim. Mas para se jogar com os melhores, tem de se estar sempre ao mais alto nível. Poderei responder melhor nos quartos-de-final.»

[ Acha que o Marselha foi demasiado confiante?] «Pareceu-me que o Marselha era uma equipa confiante, sim, devido ao resultado de Lisboa. Mas tenho a certeza absoluta que foram surpreendidos pelo modo como o Benfica abordou o jogo.»