Jorge Jesus afirmou que «Rui Vitória vai ter missão difícil» na Arábia Saudita, disse que não gostou de ouvir algumas coisas que Frederico Varandas disse e garantiu que vai tentar ser mais comedido na sala de imprensa.

A relação de Jesus com Rui Vitória ficou marcada pelas conferências dos dois treinadores, quando JJ estava no Sporting e o ribatejano no Benfica. Quis o destino que ambos saíssem dos clubes lisboetas para a Arábia Saudita, para dois clubes rivais como são o Al Hilal, que foi de Jesus, e o Al Nassr, de Vitória.

«Ele foi para o compound onde eu estava, mas nunca me encontrei com ele», disse Jorge Jesus, á chegada a Portugal. «Encontrei a família dos adjuntos e assistentes. Falava normalmente, 'bom dia e boa tarde', mas ele vai ter uma missão difícil», considerou o técnico. 

«Saí com seis pontos na frente e ele tem de recuperá-los. Tem uma boa equipa, fez um bom resultado no último jogo e já perdeu um. Mas não vai ser fácil porque Al Hilal é muito mais forte», disse.

Sobre a relação pessoal com Rui Vitória, Jesus afirmou: «As relações desportivas são uma coisa, as pessoais são outras. Houve uma guerra, mas isso é outra coisa, mind games com treinadores comigo acabaram. Aprendi que o que importa é respeitar o futebol e as pessoas. Não é que se deixe de respeitar com mind games, há é interesses de um lado e de outro. Fala-se muito antes dos jogos, pressiona-se muito e vou tentar que, da minha parte, seja mais pressão dentro de campo, quem for melhor treinador e quem tiver melhores jogadores e menos bla, bla, bla.

Sobre Frederico Varandas, Jesus lembrou duas coisas: «Estive três anos com Varandas, era meu médico no Sporting. Tivemos uma relação boa e temos, apesar de eu não ter gostado de algumas declarações que ele fez sobre mim. Eu não sou mais um!»