Em declarações à «Lusa», o técnico considerou ser «essencial que os clubes funcionem na Liga como um cartel, salvaguardando as diferenças ao nível desportivo, dado que todos querem ganhar, e pretendam pensar em conjunto o negócio do futebol».

José Couceiro acrescentou que «apresentar a candidatura será mesmo o último passo, pois o mais importante é pensar o futebol português», interrogando-se «como é que se pode tornar mais competitivo a nível internacional».

O treinador defende uma presidência acima da gestão das várias áreas (disciplina, arbitragem e competições) e refere que «é um desafio altamente aliciante e interessante, se houver base para se poder avançar».