O treinador do Leixões, José Mota, em declarações após o encontro da jornada 21, com o F.C. Porto, que os matosinhenses perderam por 1-4:

«Sabíamos que íamos defrontar o F.C. Porto que ia tentar resolver o jogo rapidamente, para gerir depois e ter o pensamento no Atl. Madrid. Tentámos conter esse mesmo ímpeto, e penso que o conseguimos. Nos primeiros dez minutos, o F.C. Porto foi uma equipa forte, mas não criou grande perigo a não ser uma defesa do Beto com o pé. Depois, o jogo equilibrou-se, mas a grande penalidade não veio numa boa altura e o Porto, a ganhar, tornou-se mais forte e jogou como gosta, a explorar o espaço, com transições rápidas.

Penso que a primeira parte passou numa toada sem grande objectividade quer de um lado, quer do outro. Tínhamos de fazer algo na segunda parte. A nossa entrada foi mais forte, estávamos a consegui-lo, mas mais uma desatenção provocou um resultado que, na altura, não era justo. Aí percebi que o resultado estava feito. Devíamos ter mais controlo emocional, mas continuamos a ser uma equipa com vontade e alegria para chegar ao golo. Não temos dado estas hipóteses ao adversário para fazer golo, o F.C. Porto aproveitou-as. Os meus jogadores trabalharam muito, mas nem sempre bem.

«Quando se sofre um golo de penalty e se tenta recuperar no intervalo para reentrar no jogo e sofre-se o segundo golo, não há muito a dizer. Dificilmente daríamos a volta ao resultado. Não podíamos ter cometido aqueles erros. São duas situações que não deviam ter acontecido, se assim fosse estávamos a jogar no 0-0 e seria tudo diferente. Com duas situações oferecidas e a perder 2-0 não há grande ânimo.»

[ sobre se o resultado afecta para o resto da Liga] «O ânimo é este: sentimos que não estivemos tão bem como desejaríamos e temos de reflectir sobre este jogo. Tenho de dar os parabéns aos jogadores pela atitude, teremos forçosamente de corrigir alguns erros que estão a acontecer sobretudo ao nível da concentração.»

«O Leixões vai lutar pelos jogos com intenção de vencer, isso faz com que pensemos que podemos chegar a uma prova da UEFA. Não queremos baixar nem o rendimento nem a classificação. Seria justo se o conseguíssemos até final. Mas esta época não foi trabalhada com sentido de nos obrigar a chegar à UEFA.»

[ comentando a lesão de Elvis] «Teve uma dor no gémeo e vamos avaliar a situação. Poderíamos ter mais uma solução para jogar, mas acabei por ficar apenas com uma substituição.»