O treinador do Leixões, José Mota, em declarações após o encontro com o Paços de Ferreira, na jornada 22 da Liga, que os matosinhenses perderam por 4-0

«Perder por 4-0 é, realmente, pesado para aquilo que fizemos. Quando se perde por estes números a vitória do adversário não está em causa. O Paços de Ferreira teve momentos de inspiração, mas sofremos quatro golos de bola parada o que denota alguma falta de concentração. Sabíamos que era um jogo difícil porque o P. Ferreira tem conquistado muitos pontos em casa. Nos primeiros 20/25 minutos, o Paços teve mais posse de bola e uma oportunidade logo a abrir, mais por deslize do Beto. Depois, penso que as melhores ocasiões foram do Leixões: uma bola à barra do Chumbinho, uma do Joel e a perdida do Braga. O Paços acaba por fazer um golo, belo por sinal, que, normalmente, não vemos. Na primeira parte não se justificava estarmos a perder.»

«Na segunda, entrámos com o sentido de sermos mais pressionantes, as substituições eram para chegarmos ao empate. Mas num canto houve o segundo golo e a partir daí o P. Ferreira jogou ainda mais em contra-ataque. Não teve grandes ocasiões, apenas de bola parada. Temos de pensar naquilo que não estamos a fazer bem. já no jogo anterior sofremos golos de canto. Curiosamente, até então não tínhamos sofrido golos de bola parada.»

sobre o Sporting ser o próximo adversário após três derrotas consecutivas «A história diz-me que são estes resultados que nos tornam fortes. Já perdi 6-0 e 5-0 e fiquei em sexto lugar. Estes resultados servem para avaliarmos o que não está bem e baixar um bocadinho à terra. Há mérito de todos no que se fez até aqui, mas não estávamos preparados para esta situação. Tivemos sempre um nível elevado, com um futebol de grande qualidade, mas não há nenhuma equipa que não baixe de forma.»