A queda de Klinsmann na segunda-feira foi ditada pelos resultados negativos da equipa - com a derrota Shalke 04 a dar o empurrão final. Com o Bayern na terceira, posição a três pontos do líder - o Wolfsburgo - o antigo treinador de Benfica tem cinco jogos para rectificar o rumo da equipa de Munique e alcançar os seus objectivos.

«Um clube como o Bayern tem de jogar a Liga dos Campeões na próxima época», disse Jupp Heynckes em conferência de imprensa, segundo cita a agência Lusa, sublinhando a importância de «aceder directamente» à competição.

Antes de apontar a receita para agitar a formação, o treinador analisou os sintomas que mais o preocupam. «A equipa estava apática, paralisada, como se sofresse de um bloqueio psicológico», avaliou assim a prestação do Bayern em casa, no sábado, que terminou com uma derrota por 0-1. «Tenho de falar muito com os jogadores para os convencer de que são melhores do que aquilo que demonstraram nos últimos jogos», apontou em seguida a prescrição para aqueles males.

Jupp Heynckes - que treinou o Benfica nas épocas de 1999/2000 e 2000/2001, até ser despedido por Vale e Azevedo - já estivera na direcção técnica do Bayern em 1989 e 1990. O regresso, explicou, trata-se de «um serviço de amizade ao clube e a Uli Hoeness», actual director desportivo do clube.