«O papel do governo não é de intervir semanalmente, diariamente, casuisticamente nas questões que têm a ver com a vida de todos os dias do futebol. Ao Governo incumbe zelar para que haja uma estrutura global que enquadre toda a actividade desportiva», explicou o governante, citado pela agência Lusa.

Mesmo no que diz respeito à profissionalização dos árbitros, Laurentino Dias argumenta que «o Governo não tem opinião», uma vez que «são as pessoas do futebol que têm de tomar essas decisões».

Entre as preocupações imediatas do governante, no que ao futebol diz respeito, está apenas o próximo compromisso da Selecção Nacional. «É um objectivo que nos une a todos», disse Laurentino Dias, referindo-se ao apuramento para o Mundial 2010.