A lista principal é limitada e agora só pode ser alterada após a fase de grupos (ainda que haja uma exceção no caso dos guarda-redes que tem a ver com lesões). Para se perceber, a Lista B é ilimitada, mas contempla apenas jogadores nascidos após 1 de janeiro de 1992 e que tenham pelo menos dois anos consecutivos no clube.

Os dragões registaram quatro futebolistas formados em Portugal e, por isso, na lista principal para a competição só puderam inscrever um total de 21 futebolistas.

No documento entregue à UEFA, o FC Porto tem Josué, Licá, Varela e Ricardo. O primeiro tem passado nas camadas jovens portistas, mas não é «club-trained player», de acordo com os critérios da Liga dos Campeões.

Porquê? O critério para se ser considerado jogador formado no clube é ter feito um mínimo de três épocas inteiras no clube, entre os 15 e os 21 anos.

Josué nasceu em 1990 e faz anos em setembro. Assim, o período do médio no FC Porto, para a UEFA, começa a contar em 2005/06. Nessa época, foi emprestado ao Padroense.

Em 2006/07 voltou ao FC Porto. Fez a época toda. A primeira para os critérios Champions. A seguir, nova cedência. Em 2007/08 jogou no Candal.

Josué voltou ao Dragão na época seguinte, em 2008/09. Foi a última que jogou de azul e branco antes dos 21 anos. Entre o dia em que fez 19 anos e aquele em que fez 21, Josué esteve no Sp. Covilhã, no Penafiel, no VVV Venlo e no Paços de Ferreira.

Falta-lhe, portanto, uma época para ser considerado elegível como formado no clube por parte da UEFA. Mesmo que os registos do FC Porto mostrem que Josué entrou no clube praticamente ao mesmo tempo que entrou para a escola.

Reis da formação? Grupo do Benfica não é de certeza

Quando se olha para as listas A dos vários clubes, percebe-se que também o Olympiakos não tem qualquer jogador formado no emblema do Pireu. No campo oposto está a Real Sociedad.

Ao contrário do rival Ath. Bilbao, a Real Sociedad aceita jogadores estrangeiros. Mas os espanhóis que representam o clube têm de ter nacionalidade basca. Isso tem óbvias repercussões na equipa: 14 jogadores formados no clube.

A seguir, vem o Barcelona, outro emblema com forte carga regional. Os catalães inscreveram 13 futebolistas «feitos» em La Masía.

Curiosamente, no grupo do FC Porto há uma equipa que ocupa o último lugar deste pódio: o Áustria de Viena inscreveu 11 jogadores formados pelo clube na lista A.

Neste aspeto, se se armazenar os jogadores formados por clubes nos respetivos grupos, chega-se a uma conclusão: o do Benfica é o que tem menos, com apenas seis.

Jogadores formados no clube, por emblema

Real Sociedad: 14

Barcelona: 13

Áustria Viena: 11

Manchester United: 7

Atlético Madrid: 6

Basileia: 6

Real Madrid: 6

Ajax: 5

Arsenal: 5

Bayern Munique: 5

Schalke: 5

Galatasaray: 5

AC Milan: 4

Bayer Leverkusen: 4

Borussia Dortmund: 4

FC Copenhaga: 4

CSKA Moscovo: 4

Zenit: 4

Nápoles: 4

Shakthar Donetk: 3

Juventus: 3

Manchester City: 3

Marselha: 3

Benfica: 2

Viktoria Plzen: 2

PSG: 2

Celtic: 2

Anderlecht: 2

Steaua Bucareste: 1

Chelsea: 1

FC Porto: 0

Olympiakos: 0

Jogadores formados no clube, por grupo

Grupo A: 28 jogadores (Leverkusen, Manchester United, Real Sociedade, Shakthat Donetsk)

Grupo B: 18 (Galatasaray, Juventus, Copenhaga e Real Madrid)

Grupo C: 6 (Anderlecht, Benfica, Olympiakos e PSG)

Grupo D: 14 (Bayern, CSKA Moscovo, Manchester City e

Viktoria Plzen)

Grupo E: 13 (Basileia, Chelsea, Schalke e Steaua)

Grupo F: 16 (Arsenal, Dortmund, Nápoles e Marselha)

Grupo G: 21 (Atl. Madrid, FC Porto, Áustria Viena e Zenit)

Grupo H: 24 (Ajax, Barcelona, Celtic e Milan).