Hulk, um perigo à solta

Uma exibição em crescimento, na proporção do espaço que o Leixões deixava livre à medida que mais carregava sobre o ataque. Começou marcado por Laranjeiro e com dificuldades em criar perigo. Com o golo de Lucho, surgiu o espaço e Hulk tornou-se um perigo. Marcou um golo decisivo, o oitavo na Liga, e fartou-se de criar perigo.

Fernando, trabalhador incansável

Cada vez mais se afirma como uma referência do meio-campo portista. Sobretudo, claro, nos aspectos defensivos. Inteligente na leitura do jogo e com um conhecimento perfeito do espaço que ocupa, Fernando soube ocupar os terrenos, parar o ataque do Leixões, recuperar bolas e até lançar o ataque com passes bem medidos. Boa exibição.

Farias, um golo e uma assitência, nada a apontar-lhe

Surgiu no onze inicial, num ataque que esta noite só repetiu Hulk em relação ao que é habitual. Naquele que foi o quarto jogo a titular na Liga. Se este era um teste para a fase da decisiva da época, Farias respondeu bem. Marcou um golo, fez uma assistência e luta até ao fim. Já agora, em quatro jogos a titular, marcou quatro golos. Nada mau.

Lucho, devagar, devagarinho, já leva oito golos

Não fez um jogo de encher os olhos, já há bastante tempo que não o faz, mas também não se esconde. Por isso está sempre no caminho da bola, que recebe, toca e distribui com ordem. Esta noite marcou também um golo. Mais um. Já vai em oito na Liga, sendo o melhor marcador da equipa (com Hulk). O que deve querer dizer alguma coisa.

Diogo Valente, um golo para premiar tanta luta

Foi a principal fonte de problemas do F.C. Porto. Mexido, procurou a bola nos espaços vazios e partiu para cima da baliza. Por isso obrigou Tomás Costa e Cissokho a uma carga de problemas. Teve uma boa ocasião para marcar na segunda parte, mas falhou a pontaria. Sobre o fim do jogo, recebeu o prémio de tanta esforço numa oferta de Helton.

Helton, não é nada bom sinal

Teve um jogo relativamente tranquilo, até aos 89 minutos. O Leixões acertou pouco na baliza e meia-dúzia de cruzamentos bem resolvidos era tudo o que levava para contar. Até que em mais um centro, chocou com Cissokho e largou a bola, que Diogo Valente empurrou para golo. Em vésperas do jogo com o At. Madrid, não é nada bom sinal.