«Quando não ganhamos jogos a culpa é do treinador. Agora é mérito do motorista, ou do roupeiro. Nas sete vitórias havia heróis por todo o lado. Nos sete jogos sem vencer ficou o mártir»

Massacrado no período negro do Sporting, Carlos Carvalhal não resistiu a uma pergunta sobre a influência da chegada de Costinha nas vitórias sobre o Everton e F.C. Porto. O desabafo, entre o irónico e o amargurado, sublinha a sua condição de homem só em Alvalade, nos bons e nos maus momentos. Uma condição que, pelo andar da carruagem, dificilmente será modificada até ao final da época.