«Até hoje a simples intenção de recorrer ao PEC [Plano Extrajudicial de Conciliação] junto do IAPMei [Instituto de Apoio a pequenas e médias empresas] e a simples aceitação do IAPMei era norma habilitante [a competir]. A partir de agora será necessária a certidão do acordo entre a administração fiscal e a segurança social. Não basta a intenção, é preciso o certificado que garante mais do que a intenção para participar nas provas profissionais», afirmou o presidente da Liga. Hermínio reforçou a ideia, pedida por muitos, de que «nenhum clube com salários em atraso em Maio de 2009 poderá participar nas competições da próxima época.»

Não haverá desculpas

O antigo Secretário de Estado do Desporto disse aos jornalistas que a Liga não vai fazer favores a ninguém. «As alterações regulamentares não são feitas à medida. Pretendemos aumentar o nível de exigência para as competições profissionais, pois queremos épocas mais tranquilas. Os clubes já sabem as regras do jogo antecipadamente.»

Questionado sobre se estas medidas podem reduzir o número dos clubes a competir no panorama nacional, Hermínio não fugiu à questão. «O campeonato português corre o risco de ter menos clubes na próxima época, mas isso é uma situação que acontece noutros campeonatos europeus e noutros sectores profissionais. Este rigor e exigência são importantes para a credibilização do futebol português. As notícias negativas destes temas [salários em atraso] tornam o futebol nacional mais vulnerável (¿) e nós queremos pessoas nos estádios.»

Apesar de ainda faltar a aprovação das medidas em Assembleia Geral, o presidente da Liga confirmou um dado: «A penalização [para quem não cumprir as regras] é não se poderem inscrever nas competições nacionais. Os clubes que não respeitem os pressupostos de candidatura serão excluídos».

O Provedor do Adepto

Hermínio Loureiro lançou ainda a nova figura do meio desportivo: o Provedor do Adepto. «Foi aprovada a figura do Provedor do Adepto, para a recepção de críticas, comentários, sugestões, reclamações e tudo o que tenha a ver com o aspecto desportivo das competições nacionais. Haverá assim um responsável para o tratamento autónomo e independente desses assuntos. O convite foi efectuado ao Doutor Jorge Silvério, um académico com currículo que dá garantias à Liga Portuguesa de Futebol», adiantou.