O jogo deste sábado entre o Académico de Viseu e o Benfica vai proporcionar, ao que tudo indica, um duelo inédito entre os irmãos João e Carlos Martins. Uma família habituada às emoções do futebol, mas que vive agora um dia especial.

Contactado pelo Maisfutebol, João Martins tem até alguma dificuldade em falar do que sente: «É uma situação nova. Nem sei bem o que dizer. Agora estou calmo, mas quando entrar em campo e o vir lá dentro vai ser um misto de emoções.»

«Mas vou gostar muito de o defrontar. Era algo que já desejava há muito. Preferia jogar ao lado dele, mas não foi possível até agora», acrescenta o médio do Ac. Viseu.

Ambos médios, João e Carlos Martins devem cruzar-se várias vezes em campo. «Temos brincado ao longo da semana, dizemos que vamos dar uma porrada no outro», explica o mais novo, antes de prometer um telefonema ao irmão para apostar um jantar.

João Martins lembra que o Ac. Viseu «atravessa o melhor momento da época», com seis vitórias e um empate desde que o novo técnico, Ricardo Chéu, assumiu o cargo. Mas do outro lado vai estar uma equipa forte, ainda para mais agora que conta com o «reforço» Carlos Martins.

«Esquecendo que é meu irmão, olhando apenas para o jogador, sou da opinião que é um médio de características únicas. É uma referência dentro de campo», diz João ao nosso jornal.

Afastado do plantel principal do Benfica desde o início da época, Carlos Martins começou a ser utilizado na equipa B após o fecho do mercado (na maioria dos países europeus). «Tem sido um pouco difícil. Não merece o que lhe fizeram. Tem mais do que qualidade para estar na equipa principal, e para jogar», defende o irmão.

João fala do irmão como um «grande profissional», que embora «não esteja satisfeito nem possa estar, mostra humildade e dá tudo pela equipa B».

«Por um ou outro motivo não se proporcionou uma transferência. Mas ele também não podia sair de qualquer forma, por causa da situação do filho», lembra o jogador do Ac. Viseu, ao Maisfutebol.

Relegado para a equipa B, Carlos Martins parece ter assim fechadas as portas do Mundial2014. «Ele era titular da Seleção. Deixou de o ser porque o treinador do Benfica deixou de contar com ele. É estranho. Está triste, sente que podia lá estar, até por tudo o que tem feito na carreira. Tem qualidade para lá estar», defende o irmão.

Questionado se o afastamento de Carlos Martins da equipa principal do Benfica estava relacionado com a expulsão frente ao Estoril, na penúltima jornada da época passada, João Martins disse não saber: «Antes já não era opção, apesar de ter feito uma pré-época espetacular. Se a explicação for essa, penso que não é correto. Já aconteceu a outros jogadores e nada se passou. Acontece.»