A Liga dos Campeões da próxima época começa a ganhar forma, com a definição dos vários campeonatos. O Benfica, campeão nacional, é a única equipa portuguesa com entrada direta na fase de grupos, mas volta a não ter lugar no Pote 1 para o sorteio. E se o vice-campeão FC Porto, caso lá chegue, entra no pote seguinte, é pouco provável que o Benfica o consiga. Caindo para o terceiro pote, o campeão nacional enfrenta um cenário teoricamente bem mais duro no grupo.

Estão nesta altura definidas 22 das 32 equipas que chegarão aos grupos. Terminada a época serão conhecidas 26, ficando a lista completa só no final de agosto, com as seis equipas que se apurarem através das pré-eliminatórias. E já é possível saber quem estará no primeiro dos quatro potes para o sorteio da fase de grupos.

Os oito lugares são preenchidos com os vencedores da Liga dos Campeões e Liga Europa, mais os campeões em título dos primeiros seis países do ranking da UEFA. Portugal, como sétimo do ranking, é o primeiro a ficar fora dessas contas. Só entraria se um dos vencedores das competições europeias fosse também campeão nacional de um dos seis primeiros países do ranking. Não aconteceu no ano passado, quando o FC Porto foi para o Pote 2, e voltou a não acontecer este ano.

Ainda falta jogar as duas finais europeias, mas a definição dos finalistas já teve de resto consequências. O facto de Liverpool e Tottenham, que discutirão a Liga dos Campeões, já se terem apurado através dos seus campeonatos abriu lugar na fase de grupos ao campeão do 11º país do ranking, que é a Áustria. Portanto, saiu a sorte grande ao Salzburgo.

Quanto à final da Liga Europa, pode dar lugar a dois cenários diferentes. Se ganhar o Chelsea, que também se apurou para a Champions através da Premier League, quem aproveita é o Lyon, terceiro da Liga francesa – o quinto país do ranking -, que deixa de precisar de jogar duas pré-eliminatórias e sobe à fase de grupos. Se for o Arsenal a ganhar, ocupa o lugar na Champions como detentor do troféu, sem mais «promoções». E a Inglaterra preenche a quota máxima possível para um país na competição, cinco equipas.

Quanto à divisão das equipas para o sorteio, este é o cenário neste momento.

 

Os potes 2, 3 e 4 são ordenados pelo coeficiente de cada clube. No ano passado tanto Benfica como FC Porto entraram no segundo pote, mas este ano é diferente. O FC Porto, que é 10º no ranking da UEFA com 93.000 pontos, terá lugar garantido no Pote 2 se lá chegar. Entre as equipas que podem entrar na fase de grupos e não estão no Pote 1 há apenas duas com ranking superior aos dragões: Real Madrid e At. Madrid.

Já o campeão Benfica, que é 21º do ranking, com 68.000 pontos, precisaria de uma combinação favorável para conseguir estar entre os oito com lugar no Pote 2. Nesta altura, já há seis equipas com lugar garantido que têm melhor ranking que as águias: Real Madrid e At. Madrid, mais um dos finalistas da Liga dos Campeões, mais o Borussia Dortmund, o Nápoles e o Shakhtar Donetsk.

A estas podem juntar-se várias outras melhor cotadas que o Benfica: desde já o Chelsea, se não ganhar a Liga Europa. Há ainda uma hipótese remota de apuramento da Roma, também acima do ranking do Benfica. E depois ainda há que contar com a qualificação. Se o FC Porto se apurar também atira os encarnados mais para baixo. E o Ajax, que terá igualmente de jogar a qualificação, também entra à frente das águias. Portanto, já admitindo que a Roma não consegue o apuramento, o Benfica só entra no Pote 2 se apenas lá chegar uma das três equipas ainda à sua frente no ranking - Chelsea, FC Porto e Ajax. 

O FC Porto entra em prova na terceira pré-eliminatória do caminho dos não campeões, onde será primeiro cabeça de série. Os clubes já garantidos nessa fase, e potenciais adversários dos dragões, são o Club Brugge e o terceiro classificado da Rússia, ainda por definir. O Lyon também está por agora com lugar na terceira «pré», mas pode ganhar o bónus de subir já à fase de grupos. E mesmo que isso não aconteça será cabeça de série, tal como o Dínamo Kiev. Ainda poderão vir da segunda pré-eliminatória clubes como o PSV Eindhoven, o Basileia e o Olympiakos.