A figura do jogo: Fábio Cardoso

O central de 20 anos leva já mais de cinquenta jogos na Liga de Honra e nunca tinha marcado. Terá desejado golos para 2015, ao comer as uvas passas, e foi abençoado. Nada nos 52 jogos anteriores, três golos nos dois clássicos com Sporting B e FC Porto B. Fábio Cardoso garantiu a vitória em Alcochete e operou a reviravolta final esta tarde, no Seixal. Posicionamento certeiro em dois lances de bola parada para a finalização com o pé direito. Uma questão de instinto. Providencial. Natural de Águeda, chegou ao Benfica em 2008 e cumpre a terceira época na equipa B, embora tivesse iniciado este percurso ainda como júnior, em 2012/13.

Positivo: Gonçalo Paciência

O protagonista do momento da tarde no Seixal, como prémio de consolação para um FC Porto B que reagiu bem à desvantagem numérica e no marcador. Gonçalo Paciência, de regresso após arreliadora lesão, provou ter capacidade para travar uma batalha desigual e aproveitar as escassas oportunidades. Aliás, criou a sua por iniciativa própria, após o intervalo, desenhando um arco perfeito em direção à baliza de Bruno Varela.

Negativo: Nuno Santos

Entra nesta categoria como rosto de um Benfica B que se deslumbrou perante a vantagem numérica. Ficou na retina uma tentativa de passe de letra, logo após o intervalo, a meio-campo. Desnecessário e demonstrativo de sobranceria. Perdeu a bola. Pouco depois, o FC Porto B chegou ao 1-2. Fábio Cardoso materializou a reviravolta para os encarnados, mas fica o aviso: não basta ter qualidade.

Benfica B-FC Porto B, 3-2 (crónica)

OUTROS DESTAQUES:

Gonçalo Guedes

Natural destaque neste Benfica B, estando nos principais momentos de jogo. Ao 13º minuto, soube aparecer nas costas de Rafa, no limite do fora-de-jogo, para conquistar uma grande penalidade e provocar a expulsão do adversário. Bateu Raul Gaudino, um especialista, na conversão do castigo máximo. Com total liberdade para criar, foi provocando desequilíbrios e deve lamentar apenas a forma como desperdiçou um par de oportunidades soberanas na etapa complementar. O guarda-redes mexicano do FC Porto B teve mérito na segunda, é certo, mas Gonçalo Guedes deve penitenciar-se pelo desacerto na finalização. Nada que tire brilho, ainda assim, à sua exibição.

Francisco Ramos

Filho de Vitoriano Ramos, antigo jogador de Varzim e FC Porto, Francisco vai conquistando o seu espaço no clube azul e branco e, aos 19 anos, entra na realidade da equipa B. Boa solução ao dispor de Luís Castro, com capacidade de combate e bom trato da bola. Bem acompanhado por Leandro Silva, conseguir anular várias ofensivas encarnadas e surgiu no sítio certo, ao minuto 35, para lançar as bases da reviravolta portista. Não chegou, ainda assim.

FICHA DE JOGO

João Teixeira

Mais um belo desempenho deste médio que desperta a atenção de Jorge Jesus. Um 8 com qualidade técnica de um 10, empurrando o Benfica B para a frente com várias iniciativas pelo corredor central, passando com relativa facilidade por um ou dois adversários. Não engana.

Kayembe

Voltou a demonstrar a sua utilidade neste FC Porto B. Começou como extremo esquerdo, recuou para lateral após a expulsão de Rafa e transitou para extremo direito no início da segunda parte. Seguro na poss de bola e com uma velocidade impressionante, o belga teve o mérito de incomodar os lateral contrários e fazer esquecer durante alguns períodos a inferioridade numérica. Acusou cansaço nos últimos vinte minutos, como seria de esperar.