Num jogo memorável, se não pela qualidade, pelo menos pela emoção e pela chuva de golos, a equipa de Guus Hiddink esteve quase a desperdiçar a vantagem trazida de Anfield (3-1), permitindo ao Liverpool chegar ao 2-0 ainda antes do intervalo.

Um livre directo de Fábio Aurélio, com Cech mal batido, e um penalty de Ivanovic, convertido por Xabi Alonso, reacenderam a incerteza sobre o desfecho da eliminatória, tanto mais que a equipa de Guus Hiddink não conseguia entrar no jogo.

No entanto, aos 51 minutos, Reina decidiu retribuir a gentileza de Cech, encaminhando para a sua baliza um desvio de Drogba, após cruzamento de Anelka na direita. O Liverpool abanou e, numa fase em que cometeu muitas faltas em zona defensiva, viu o central brasileiro Alex desferir uma bomba que não deixou hipóteses a Reina.

Mais tranquilo, o Chelsea pareceu dar a machadada final na eliminatória quando Lampard concluiu um bom cruzamento de Drogba, na esquerda (75 m). Era um resultado injusto para o Liverpool, que logo de seguida voltou a entrar na discussão: primeiro, um remate de Lucas tabelou em Essien e colocou o marcador em 3-3. Depois, Riera, recém-entrado, fez um belo cruzamento para a pequena área e, com os candelabros defensivos das duas equipas todos apagados, Kuyt surgiu à vontade para cabecear e deixar os «reds» novamente a um golo do apuramento.

Faltavam cinco minutos, uma eternidade, num jogo destes, mas o técnico do Liverpool, Rafael Benitez, acabou por quebrar a espinha à sua equipa, quando tentou uma derradeira substituição de risco: trocando Arbeloa por Babel, o Liverpool perdeu a organização e acabou por permitir ao Chelsea recuperar o domínio.

A dois minutos do fim, Drogba, o herói de Stamford Bridge, recuperou uma bola e na sequência do lance permitiu a Lampard um remate à entrada da área, que bateu no poste, percorreu a linha e sentenciou a eliminatória.

Um jogo apaixonante, a permitir, pelo segundo ano consecutivo, que o Chelsea quebrasse a estrelinha de rafael Benitez nas provas a eliminar. Agora, frente ao Barcelona, esperam-se mais dois jogos de alta voltagem.

CHELSEA: Cech; Ivanovic, Alex, Ricardo Carvalho e Cole; Essien, Ballack e Lampard; Kalou (Anelka, 36), Drogba (Di Santo, 90) e Malouda.

LIVERPOOL: Reina; Arbeloa (Babel, 85), Carragher, Skrtel e Fábio Aurélio; Mascherano (Riera, 69), Lucas e Xabi Alonso; Kuyt, Torres (NGog, 80) e Benayoun.

Ao intervalo: 0-2.

Marcador: 0-1 Fábio Aurélio, 19; 0-2 Xabi Alonso, 28 g.p.; 1-2 Drogba, 51; 2-2 Alex, 57; 3-2 Lampard, 75; 3-3 Lucas, 81; 3-4 Kuyt, 83; 4-4 Lampard, 89.

Resultado final: 4-4.