«Efectivamente, só podem participar [nas competições europeias] os clubes ou SADs que tenham obtido a licença até 20 de Dezembro [de 2009]. Há, contudo, uma excepção, mas esta destina-se apenas aos clubes participantes em campeonatos não profissionais [II e III divisões]», explicou Luís Paulo Relógio, coordenador do Órgão de Gestão e Licenciamento (OGL) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), nesta segunda-feira, à margem de uma acção de formação onde estiveram presentes vários dos clubes licenciados.

Isto significa que, independentemente de o F.C. Porto ser ou não o vencedor da Taça de Portugal, campeão nacional, segundo ou terceiro classificado, como acontece presentemente, os candidatos às competições europeias serão sempre cinco - os dois primeiros à Liga dos Campeões e os restantes à Liga Europa.

Inscreveram-se na acção de formação, destinada aos treinadores principais e capitães de equipas dos clubes/SADs que se candidataram ao licenciamento para participar nas competições europeias, Benfica, Sp. Braga, F.C. Porto, Sporting, V. Guimarães, P. Ferreira, U. Leiria, Nacional, Marítimo e Académica.

Nem todos compareceram com os destinatários requeridos, como aconteceu com os encarnados, que estiveram representados por Luís Filipe e pelo fisiologista Pedro Pereira, ou de todo, como a Académica, mas nenhum dos clubes corre o risco de perder o licenciamento, ainda que sejam alvo de sanções pecuniárias, esclareceu Luís Paulo Relógio, atendendo ao regime de presença obrigatória na acção.

Estiveram, assim, presentes Eduardo e Miguel Cardoso (Sp. Braga), Nuno Espírito Santo e Rui Barros (F.C. Porto), João Moutinho e José Lima (Sporting), Flávio Meireles e Alberto Cabral (V. Guimarães), Leal e Manuel Santos (P. Ferreira), Marco Soares e Fernando Morgado (U. Leiria), Manuel Machado e Patacas (Nacional), Van der Gaag e Bruno (Marítimo).