Os portugueses não chegam a metade, mas ainda assim lideram o «ranking», como é natural. São 186, o que corresponde a 46 por cento.

O número de jogadores brasileiros tem diminuído, mas ainda assim continuam a representar o segundo mais contingente: uma centena de jogadores, que corresponde a 24 por cento do total.

Estes são os dois grandes grupos, pois a partir daqui os números são mais reduzidos. Ainda assim destaque para a Argentina, com dez jogadores, e depois Cabo Verde e Sérvia, com nove. Este último caso talvez represente a grande novidade desta época, e só o Benfica tem seis no plantel.

Depois temos as nacionalidades mais surpreendentes, pouco vistas no futebol português, como a Martinica (o pacense Gregory nasceu em França mas representou esta seleção recentemente), a Somália (Abdi, da Académica), a Libéria (Theo Weeks, reforço do Marítimo), ou o Níger (Maazou, do V. Guimarães).

O Olhanense é a equipa com maior variedade de nacionalidades. São doze, de Portugal ao Togo, passando por Brasil, Itália, Eslovénia, Roménia, Senegal, França, Croácia, Nigéria, Eslováquia e Suécia.

O FC Porto tem onze nacionalidades diferentes e o Sporting apresenta dez. No plano oposto está o Estoril, com apenas cinco. E com uma curiosidade: entre 27 jogadores há apenas um que não é de um país de língua oficial portuguesa: Balboa, da Guiné Equatorial.

As nacionalidades da Liga:

PORTUGAL 189 jogadores

BRASIL 100

ARGENTINA 10

CABO VERDE 9

SÉRVIA 9

FRANÇA 7

PARAGUAI 6

NIGÉRIA 5

COLÔMBIA 4

ESPANHA 4

URUGUAI 3

ARGÉLIA 3

PERU 3

GANA 3

SENEGAL 3

GUINÉ BISSAU 3

ESLOVÉNIA 3

ITÁLIA 3

MÉXICO 2

INGLATERRA 2

MALI 2

EGITO 2

VENEZUELA 2

BURQUINA 2

MOÇAMBIQUE 2

COSTA DO MARFIM 2

ISLÂNDIA 2

TURQUIA 1

RÚSSIA 1

BÉLGICA 1

GUINÉ CONACRI 1

GUINÉ EQUATORIAL 1

SÃO TOMÉ 1

AUSTRÁLIA 1

GEÓRGIA 1

MONTENEGRO 1

CONGO 1

NÍGER 1

SUÍÇA 1

CHINA 1

ALEMANHA 1

LIBÉRIA 1

ANGOLA 1

ROMÉNIA 1

CROÁCIA 1

TOGO 1

ESLOVÁQUIA 1

SUÉCIA 1

HOLANDA 1

POLÓNIA 1

COREIA DO SUL 1

SOMÁLIA 1

MARTINICA 1