A FIGURA: Bruno Fernandes

Anormal era se o seu nome não constasse como destaque. Desta vez foi o golo. O que deu a vitória à turma de Marcel Keizer. Apesar da primeira parte mais apagada do capitão do Sporting, Bruno Fernandes compensou na segunda. Dono de uma visão de jogo cujos adjetivos já parecem pouco suficientes para qualificar, o camisola oito dos leões destacou-se, uma vez mais, através de lances individuais e jogadas coletivas, na tentativa de romper com o 1-1 que insistia no marcador. Nota, ainda, para a tentativa de golo através de um remate de bicicleta aos 68 minutos, que obrigou Bracali a uma grande defesa. Seria bonito.

MOMENTO: penalti para o Sporting (90’)

Fim do tempo regulamentar. O árbitro assinala grande penalidade de Edu Machado sobre Raphinha. Bruno Fernandes, já no período de compensação, não vacilou na marca dos 11 metros, para marcar o golo que deu a vitória aos leões.

OUTROS DESTAQUES

Luiz Phellype: o brasileiro fez, esta noite, a estreia a titular no campeonato pelo Sporting, substituindo o holandês Bas Dost, que ficou de fora da partida, por lesão. Muito esforçado no ataque dos leões, o jogador viu desperdiçada a oportunidade de colocar o Sporting na frente do marcador aos 26 minutos, após um cabeceamento flagrante ao poste da baliza de Bracali.

Sauer: o brasileiro só podia pedir melhor começo se o resultado fosse outro. Estreou-se neste jogo pela equipa axadrezada e logo a titular. Com o Boavista a deixar uma boa impressão, adiantando-se desde cedo no marcador, o número oito dos axadrezados destacou-se com jogadas coletivas e individuais. Nota para o minuto 14: uma arrancada individual em contra-ataque, que deixou um jogador do Sporting pelo caminho, servindo Perdigão para aquele que poderia ser o segundo golo da equipa da casa. Renan Ribeiro evitou o tento do camisola 12 do Boavista.  

Boavista-Sporting, 1-2: a crónica e o resumo do jogo

Neris: após um livre direto marcado por Alberto Bueno na direita, com Luiz Phellype a falhar o corte, o defesa central do Boavista não falhou e coloca a bola no fundo da baliza de Renan Ribeiro, apesar de ter tido alguma sorte no ressalto em si. Pior começo para o Sporting era impossível e teve o central como obreiro. De resto, jogo esforçado na defesa, que cedeu já na parte final.

Coates e Mathieu: com a dupla de volta pela primeira vez desde 23 de janeiro, Coates procurou sempre tirar proveito da sua altura nos duelos aéreos, acabando muitas vezes feliz, enquanto o francês Mathieu mostrava-se muito seguro nos cortes. Apesar do golo sofrido logo aos três minutos de jogo, a dupla deixou uma boa imagem.

Idris: capitão de equipa, patrão do meio campo. Apresentou-se na partida sempre seguro, também devido à experiência que carrega nas pernas, com cortes providenciais e certeiros. Muito mérito para o médio defensivo, que tapou e vigiou bem Bruno Fernandes.

Acuña: um dos jogadores mais inconformados e irrequietos do Sporting. A par de Bruno Fernandes, que acaba por ser a figura do jogo pelo golo da vitória, Acuña foi protagonista esta noite no Bessa. Muito forte no um para um, o argentino dos leões procurou sempre desequilibrar pelo flanco esquerdo, não dando muito tempo para Edu Machado respirar com tranquilidade.

Edu Machado: aos 17 minutos de jogo, o lateral direito do Boavista, ao tentar cortar a bola, após uma investida de Raphinha pela direita, coloca a bola dentro da baliza de Bracali. Infelicidade de uns, felicidade de outros. Estava, assim, feito o empate para o Sporting. Mas a exibição do defesa, com azar direto no marcador, não ficou por aqui. Viu uma falta para grande penalidade assinalada a favor do Sporting. A grande penalidade que permitiu que Bruno Fernandes marcasse o golo que daria a vitória aos leões.