Figura: estreia de sonho de Geraldes

Divide o protagonismo com Rúben Ribeiro neste Rio Ave idealizado por Miguel Cardoso. Destaca-se pela inteligência ímpar em todos os momentos do jogo, embora ainda denote alguma falta de entrosamento com os restantes companheiros. Lampejos de classe, numa exibição coroada com um golo na estreia oficial ao serviço dos vila-condenses. Mais uma vez, provou ser um jogador que merece ser seguido com especial atenção. Quiçá, seja esta a época de afirmação plena.

 

O momento: Sorte protege a equipa mais audaz

O nulo teimava em persistir em Vila do Conde. Até aos 37 minutos, momento em que o pé direito de Francisco Geraldes encontrou o caminho, com a preciosa ajuda de Nuno Tomás, para o fundo da baliza de Muriel. O livre bem perto do limite da área desbloqueou o jogo. Golo que se revelou decisivo neste triunfo do Rio Ave na ronda inaugural da Liga.

Outros destaques:

Marcão

Possante e imperial pelo ar, não perdeu um único duelo com os avançados adversários. Revela-se importante na primeira fase de construção pela capacidade em sair com bola. 21 aninhos e uma margem de progressão enorme. O futuro tratará de confirmar as impressões deixadas neste primeiro encontro.  

André Sousa 

O melhor elemento do Belenenses esta noite. Com um pé esquerdo de qualidade, é um jogador de futebol simples e toque curto. Funcionou como elo de ligação entre o meio-campo e o ataque, embora tenha pecado na hora de decidir. Teve nos pés a melhor oportunidade do Belenenses na primeira parte, valeu Cássio a evitar o pior para a formação visitada. Incompreensivelmente, acabou substituído à hora de jogo.

Rúben Ribeiro

É um jogador especial. É notório na relação com a bola, na forma como descobre espaço onde, aparentemente, ele não existe. Intercalou momentos positivos com outros de levar o mais paciente do adepto vila-condense ao desespero. Cresceu com Luís Castro no aspeto defensivo no ano passado e isso ficou bem patente neste jogo, auxiliando inúmeras vezes Yuri Ribeiro.

Muriel

Boa estreia do guarda-redes recrutado ao Internacional de Porto Alegre. Seguro dentro e fora dos postes, evidenciou confiança a jogar com os pés, quando foi necessário. Tentou adiar o golo do Rio Ave, com destaque para a intervenção difícil nos primeiros minutos a remate de Rúben Ribeiro. Atraiçoado por um desvio em Nuno Tomás, ficou isento de culpas no tento que decidiu o encontro.