* Por Rui Pedro Paiva

A Figura: Piazon

Quando o jogador marca o golo decisivo normalmente é meio caminho andando para ser considerado o homem do jogo. Contudo, neste caso, não é só pelo golo marcado. O jogador do Rio Ave foi um cabo dos trabalhos para a defesa insular. Como se isso não bastasse, mostrou ser fundamental nas dinâmicas da equipa de Carvalhal, quer a preencher os espaços, quer na ajuda à defesa.

 

O Momento: o Golo de Piazon

Depois de uma primeira parte em que a equipa de Carvalhal dominou a posse de bola e realizou excelentes jogadas coletivas, era preciso alguém para impor algum pragmatismo e dar consequência à superioridade do Rio Ave. Foi Piazon, com um remate de fora da área, que fez um golo de belo efeito que decidiu o jogo.

 

OUTROS DESTAQUES:

Thiago Santana: o avançado do Santa Clara parece ser daqueles jogadores que nunca joga mal. Mesmo quando não cumpre a função de goleador, o avançado brasileiro é incansável na frente. Às vezes sozinho contra o mundo, recebe e guarda a bola permitindo a subida da equipa. Tem sempre a baliza na mira, como se viu hoje, efetuando uma série de remates perigosos.

Tarantini: é o pêndulo da equipa. Garante o rigor defensivo, é forte no posicionamento e um elemento crucial no domínio da posse de bola da equipa do Rio Ave. Já o é há muitos anos, mas hoje foi fundamental em ambos os momentos do jogo: quer quando a equipa estava a ataca com bola, quer quando foi preciso reorganizar o setor mais recuado.