FIGURA: Oto'o Zue

O lateral-direito do Tondela esteve bem quer defensiva, quer ofensivamente, aliviando sempre as investidas do lado esquerdo do Sporting, recuperando bem a bola e até lançando o Tondela para o ataque, tanto pela direita como por linhas mais interiores. Foi ele quem recuperou a bola e se lançou ao ataque, entregando bem Nathan no lance da grande penalidade, que deu o primeiro golo aos visitantes. No final do primeiro tempo ainda cortou um lance perigoso de Slimani e na segunda metade continuou a ser um dos mais destacados, Foi sem dúvida um dos grandes responsáveis pelo ponto do Tondela conquistado na casa do líder. 

MOMENTO: 85 minutos, o empate 2-2

Salva Chamorro tinha acabado de entrar para o lugar de Hélder, numa altura em que o Tondela ainda acreditava, mas em que o Sporting até parecia ter o resultado seguro. Parecia. Verde é a esperança, dizem, e o Tondela também veste de verde. Chamorro só precisou de tocar na bola uma vez para acreditar, rematar e dar mais um ponto aos tondelenses frente ao adversário mais apetecível. 

POSITIVO:

Boa exibição do Tondela em Alvalade a surpreender o Sporting. Sobretudo na primeira parte em que, também beneficiou da expulsão de Rui Patrício. Não era isto que o Sporting estava à espera na própria casa e quando a equipa de Petit é última classificada. Mas o futebol é isto. E ver a equipa com menos pontos na Liga a fazer frente ao primeiro classificado é de valorizar. Mais ainda na condição de visitante e numa altura em que tinha vários jogadores ausentes devido a castigo.

O JOGO, AO MINUTO

OUTROS DESTAQUES:

Gelson Martins: o «menino», como diz Jorge Jesus, que tem sempre a capacidade de entrar e mudar totalmente o jogo do Sporting, incutindo mais velocidade e desequilibrando a favor dos leões, entrou apenas na segunda parte e fez o que se lhe pedia. Para além disso, ainda deu a reviravolta no marcador aos 60 minutos, que, ainda assim, durou apenas 25 minutos.

Slimani: o homem-golo (ou bombeiro de serviço) do Sporting, apareceu novamente no momento certo na altura crucial do jogo. Os leões perdiam por 0-1, precisavam de dar a volta ao marcador e era, como é sempre, no argelino que recaia a responsabilidade. Aos 56 minutos, depois de vários tentativas, chegou mesmo ao golo do empate, que deu ao Sporting mais segurança para encarar o encontro e conseguir ainda fazer o 2-1.

Bryan Ruiz: é sem dúvida um jogador com classe, com cabeça e com pés que fazem maravilhas e que também fazem golos. Este noite, para além de ter sido um dos melhores do Sporting - numa exibição pouco conseguida no geral - esteve quase a marcar mais um golo. Valeu Tikito a cortar diante da baliza com a cabeça, num lance que gerou polémica mas que Luís Ferreira ajuizou bem (com a ajuda do assistente).

Nathan Júnior: foi o autor do primeiro golo do Tondela em Alvalade e o responsável pelo Sporting ter ficado a jogar com dez a partir dos 30 minutos de jogo. Recebeu bem de Zue, entrou na área e foi derrubado por Rui Patrício, ganhando a grande penalidade que lhe valeu também o golo.

Romário Baldé: tal como Wagner, na primeira metade, fechou muito bem os espaços do meio-campo do Sporting composto por João Mário, Adrien e Bruno César, não deixando os leões terem bola e evoluírem no terreno. Pelo contrário: foi o Tondela que evoluiu com a inclusão do extremo no onze. E nem era assim tão óbvio que fosse opção inicial.