Figura: a arte do jovem Rúben

O médio ofensivo dos minhotos entrou bem no jogo e foi graças aos engenho que o Famalicão chegou a ter um pé assente no quinto lugar que dava acesso às pré-eliminatórias da Liga Europa. O 2-3, de sua autoria, era precisamente o que a equipa precisava para a ultrapassar um muro insular muito coeso e solidário. 

Momento: 90+5, Erivaldo fuzila para o 3-3

Vaná afasta o esférico para zona proibida e Erivaldo, lesto na abordagem à bola, enche o pé para fuzilar as redes minhotas. Empate restabelecido e sem grande margem de tempo para voltar a acionar o marcador. O Famalicão via aqui ruir o sonho europeu.

Negativo: tantas picardias

Picardias em excesso de parte a parte. O Marítimo-Famalicão viu quatro jogadores expulsos, dois para cada lado. As emoções têm de ser reservadas para as bancadas.     

Outros destaques: 

Zainadine

Marcou o primeiro do jogo e esteve no lance, cometendo grande penalidade, que deu o 1-1 em cima do intervalo. Mas foi sempre o esteio da defesa dos insulares, sendo responsável por inúmeros cortes e roubos de bola providenciais. 

Pelágio

O médio madeirense de 20 anos liderou o meio campo do Marítimo com autoridade e clarividência.      

Toni Martinez

Lutou imenso, mas só conseguiu desequilibrar em cima do intervalo, quando arrancou uma grande penalidade a Zainadine. 

Rodrick Miranda

Marcou o golo do 2-2 e ainda fez o passe para o grande lance individual assinado por Rúben Lameiras no 3-3.