O médio Vukcevic é a grande ausência da comitiva do Sp. Braga que esta terça-feira partiu para a Ucrânia, onde vai medir forças com o Zorya em jogo da 3ª Pré-eliminatória da Liga Europa. O jogador está no mercado, mas ainda não apareceu nenhum proposta que agrade a António Salvador.

«Até ao momento não apareceu nenhuma proposta que satisfizesse a pretensão do Sp. Braga. Se até ao dia 31 de agosto houver o Braga estará cá para discutir com o jogador, se for bom, se não for obviamente o jogador vai ficar no Braga. Em função da probabilidade de poder sair o nosso treinador entendeu que não era o momento, talvez por uma questão mais de trabalho mental, e decidiu deixá-lo ficar», explicou António Salvador no Aeroporto Francisco Sá Carneiro.

O líder máximo do Sp. Braga recusou que a questão do médio montenegrino seja vista como um caso, mas ainda assim referiu que o jogador não respeitou os valores do clube. «Não há questão nenhuma com o Vuk, nesta situação de jogadores e clube há sempre obrigações das duas partes e o Sp. Braga cumpriu sempre com o Vuk, e ele sabe, e os jogadores também têm obrigações para com o clube. Uma das obrigações são os valores, um dos quais é saber respeitar. E o Vuk no jogo com o Newcastle não respeitou os valores do nosso clube, que é cumprimentar os nossos adeptos. Foi penalizado, foi multado, unicamente só isso. Não houve mais nada, se fosse teria um processo disciplinar e não o tem», disse, adiantando ainda que está a treinar normalmente.

«O Vuk tem treinado. Obviamente numa situação de preparação para o jogo o treinador entendeu resguardar o jogador, quando regressarmos se o Vuk ainda cá estiver será um jogador como os outros e se o treinador assim entender será chamado», sublinhou, garantindo ainda ter em mãos três propostas, nenhuma delas do Sporting, mas que estão longe do pretendido.

De resto, para além de Vukcevic e Hassan, António Salvador diz que «todos os outros jogadores são inegociáveis» pelo que só sairão pelo valor da cláusula.