Augusto Inácio, treinador do Aves, em declarações na sala de imprensa dos Barreiros depois da vitória em casa do Marítimo:

«Vitória fundamental e importante. Estamos numa luta titânica para nos mantermos na I liga e todos os pontos ganhos são importantes. Cada jornada que passa é menos uma de recuperação. Por isso, se numa semana estamos num lugar, na outra semana estamos noutro.»

[sobre a luta pela sobrevivência]

«Há duas semanas estávamos fora da linha de água. Na semana passada estávamos na linha de água. Hoje saltámos para fora outra vez, mas continuamos a respirar com uma palhinha porque o que vem por aí, no futuro, vai ser uma luta pelos pontos titânica.»

«Claro que estamos contentes, porque ganhámos e ainda por cima porque o Desportivo das Aves nunca tinha ganho o Marítimo na Madeira. Mas são três pontos que nos dão mais alento para o futuro.»

[sobre a estratégia que conseguiu anular o Marítimo] 

«A nossa estratégia era tentarmos chegar à frente com critério, com qualidade, e defendendo bem a nossa baliza. Continuámos naquela luta de os jornalistas dizerem que eu jogo com três centrais. Eu gosto de dizer que jogo com três defesas. Muitas vezes o Vítor Costa atacou e o Rodrigo também. É um sistema que, devido às características dos jogadores que temos, é onde os jogadores se sentem mais confortáveis. Ganham mais confiança e é claro que o resultado também ajuda para que esse sistema seja consolidado.»

«A minha equipa bateu-se de uma forma que me deixou orgulhoso, porque o espírito de sacrifício é que vai fazer com que esta equipa se possa manter na I Liga. Se não houver esse espírito, nós não temos hipótese nenhuma.»

«Hoje, se não fosse deixar a pele, a alma e o sangue em campo, nunca ganhávamos este jogo, porque o Marítimo tem uma boa equipa e em casa é sempre um adversário muito complicado. Mas marcarmos primeiro foi uma grande vantagem para a gestão do jogo e que o resto fosse mais confortável.»

«Queria dedicar esta vitória ao Ponck, porque na quinta-feira não pôde viajar com a equipa porque ia ser pai. Na sexta-feira chegou aqui à uma da manhã, sem treinar, e hoje estava pronto para o jogo. Merece por isso o nosso aplauso.»