O presidente do Marítimo, Carlos Pereira, admitiu que ficou «extremamente zangado» pelo facto de a equipa madeirense não ter chegado aos 40 pontos no campeonato.

«Estou extremamente zangado porque foi o objetivo traçado. Eu tracei 42 pontos e 40 para a opinião pública. Não atingimos nem os 42 nem os 40. Acho que esse objetivo estava perfeitamente ao nosso alcance, e podem ter a certeza de que fiquei muito zangado», disse, antes da Gala do Marítimo 2019.

Carlos Pereira garantiu que «a culpa não vai morrer solteira» para depois ser questionado quanto à continuidade do treinador: «O Petit cumpriu a sua obrigação, cumpriu o que lhe foi proposto como primeira etapa, que era a permanência, mas não cumpriu o objetivo dos 40 pontos. No entanto, não é o único culpado. Não foi possível ainda sentar com o Petit para definir o futuro. O Petit já manifestou publicamente vontade em continuar, mas não sei se é isso que me vai transmitir na reunião que vamos ter.»

O líder dos insulares considerou que é difícil lutar pelos lugares europeus, como era habitual nos madeirenses.

«Nós temos Benfica, FC Porto, Sporting, Sp. Braga e Vitória de Guimarães. O orçamento mais baixo destas cinco equipas é à volta de 25 milhões de euros. É preciso ter noção do equilíbrio financeiro, dos orçamentos de cada um para perceber que, só esporadicamente é que nós podemos atingir esse objetivo. Eu queria estar na Liga dos Campeões ou na Liga Europa. Tenho de ter noção da realidade e dos valores que nós temos», afirmou.