Artigo original: 20h11

O Conselho de Disciplina da Federação decidiu esta terça-feira remeter para a Comissão de Instrução e Inquéritos a abertura de um processo disciplinar a Naldo.

 

Ou seja, o órgão disciplinar da Federação reconheceu através do relatório do árbitro que há matéria para considerar que Naldo cometeu um ilícito grave, quando empurrou o treinador Lito Vidigal, e por isso pediu ao órgão disciplinar da Liga que faça um processo de inquérito para apurar o que aconteceu exatamente.

 

O árbitro Cosme Machado, no relatório do jogo, escreveu que Naldo «empurrou com força excessiva» o treinador adversário, Lito Vidigal, pelo que o Conselho de Disciplina da Federação enquadrou esta conduta no artigo 145º, relativo a agressões.

 

Ora o mapa de castigos indica que o processo disciplinar se enquadra no número 1, alínea b, deste artigo, relativo às agressões sem lesões graves, pelo que o central do Sporting incorre numa suspensão que vai de um mínimo de dois meses e a um máximo de dois anos, podendo no entanto haver atenuantes.

 

Refira-se que a partir do momento em que o Conselho de Disciplina da FPF remeteu o processo para a Liga de Clubes, o central Naldo ficou automaticamente suspenso pelo período de dois jogos, enquanto corre o processo disciplinar.

 

Isto porque o regulamento disciplinar da Federação não suspende jogadores em casos de processos disciplinares com moldura penal superior a um mês de suspensão, mas o regulamento disciplinar da Liga suspende.

 

Nesse sentido, Naldo falha seguramente o jogo da Taça de Portugal com o Benfica e deve falhar também a receção ao Belenenses.

A partir daí, tudo depende do tempo que a CII da Liga demorar a fazer a instrução do inquérito: ouvir testemunhas, analisar provas e formular um parecer. Certo é que enquanto não houver um parecer, Naldo não pode ficar suspenso preventivamente mais de dois meses, como indica o artigo 37º, número 3, do regulamento disciplinar.

Refira-se que pelo mesmo desentendimento o treinador Lito Vidigal foi castigado com multa de 40 euros.